Notícias | Dia a dia
'Tive dificuldade para ler o saque dela', diz Bia
30/09/2022 às 19h46

Bia teve apenas dois break-points na partida e conseguiu somente uma quebra de serviço

Foto: ETA 2022/Mauri Levandi

Talín (Estônia) - Após a derrota nas quartas de final do WTA 250 de Talín, Beatriz Haddad Maia avaliou seu desempenho na partida desta sexta-feira, em que foi superada pela tcheca Barbora Krejcikova, 27ª do ranking. Bia, que só conseguiu uma quebra de serviço em toda a partida, lamentou as chances perdidas e explicou que o desempenho da adversária no saque foi determinante.

"Tive muita dificuldade em ler o saque dela, talvez até pela instabilidade do toss. E o fato dela confirmar os games de saque com facilidade trouxe tranquilidade para ela jogar à vontade no meu saque. Mesmo assim, tive minhas chances e não competi como deveria", disse Bia após a derrota por 6/3 e 6/4 para Krejcikova.

No primeiro set, Krejcikova não enfrentou break-points e cedeu apenas dois pontos em seus games de serviço, além de ter conquistado duas quebras, para terminar a parcial vencendo quatro games seguidos.

Bia chegou a ter uma quebra acima no segundo set e liderar por 3/2, mas a tcheca buscou o empate de imediato. Já no último game da partida, a canhota paulista perdia por 5/4 e teve 40-0, mas cometeu erros dois erros durante ralis mais longos e trocas de fundo de quadra. Depois, Krejcikova explorou as subidas de Bia à rede para aplicar duas passadas seguidas e vencer o jogo.

Algoz de Bia nesta sexta-feira e ex-número 2 do mundo, Krejcikova destacou a experiência que tem de enfrentado a brasileira nas duplas. Elas também foram parceiras durante o WTA 1000 de Toronto. Ela agora se prepara para enfrentar a suíça Belinda Bencic na semifinal.

"Eu e meu treinador traçamos uma boa estratégia para jogar contra ela. Assistimos aos jogos dela no torneio e também já jogamos duplas, tanto do mesmo lado quanto uma contra a outra", disse a tcheca de 26 anos e campeã de Roland Garros de 2021. "O começo o jogo estava muito apertado, nós duas estávamos confirmando os saques, mas acho que eu pude elevar meu nível de jogo e escolher melhor os golpes."

Bia deverá se manter como número 15 do mundo. Ela segue para o WTA 500 de Ostrava, na República Tcheca. Logo após será a vez do WTA 500 de San Diego e também do WTA 1000 de Guadalajara. Postulante também a uma vaga no WTA Finals nas duplas, ela jogará os três torneios ao lado de Anna Danilina, com quem foi vice-campeã no Australian Open.

Comentários
Loja - camisetas
Suzana Silva