fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Roger Federer, Diego Schwartzman, Dmitry Tursunov Copa Davis" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Roger Federer, Diego Schwartzman, Dmitry Tursunov Copa Davis" lang="pt-BR" xml:lang="pt-BR" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Roger Federer, Diego Schwartzman, Dmitry Tursunov tênis" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2014/federer/0528_rolandgarros_toss_int.jpg" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2014/federer/0528_rolandgarros_toss_int.jpg" />
Notícias | Dia a dia | Roland Garros
Federer não fica satisfeito com sua apresentação
28/05/2014 às 14h56
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2014/federer/0528_rolandgarros_toss_int.jpg" title="Federer gostaria de ter jogado de forma mais solta" />

Federer gostaria de ter jogado de forma mais solta

Foto: Divulgação
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d

Paris (França) – Roger Federer venceu sem maiores sustos o argentino Diego Schwartzman pela segunda rodada de Roland Garros, mas não ficou totalmente satisfeito com seu desempenho. O suíço alegou que não jogou ‘solto’. Campeão do torneio em 2009, Federer parou nas quartas de final na última temporada.

“Foi meio complicado o jogo inteiro. Eu não me senti relaxado, ele conseguiu me pressionar”, comentou. “Sempre senti que ele tinha uma vantagem na linha de fundo. Ele estava muito agressivo e acertando boas bolas”, acrescentou. “Queria ter jogado de um jeito mais solto. Mas fui sólido. Saquei bem e essa sempre é a chave: manter seus games de serviço”.

No entanto, Federer acha bom estar alerta desde as primeiras rodadas de um Slam. “Eu estava me sentindo bem, mas não sei por que não pude me soltar tanto. O lado bom é que, jogando desse jeito, cada ponto é como se fosse um break-point, colocando toda a energia no jogo”, disse o suíço. “É bom passar por momentos duros. Hoje foi assim, apesar de não ser visível no placar”.

O próximo adversário de Federer é o russo Dmitry Tursunov, que prefere as quadras mais rápidas. “Acho que é bom pensar como se você fosse jogar no piso duro. É preciso deslizar e correr pelos pontos. Mas não sei o que ele vai preferir. Em Indian Wells, ele jogou do fundo. Vamos ver como eu posso mudar os ralis e colocar meu jogo em quadra”, previu.

Assim como Ana Ivanovic e Novak Djokovic, Federer também apoiou Stan Wawrinka, derrotado na estreia em Paris. “Eu já estive na posição do Stan em um momento da minha carreira e não é só uma questão de pressão, mas também de como você encarar o seu jogo. Você precisa solucionar uma coisa, acertar outra, pouco a pouco. Não é da noite para o dia. Mas ele já tem a Austrália e Monte Carlo no bolso. Ninguém pode tirar isso dele”, defendeu o compatriota de Wawrinka.

Últimas notícias
Comentários
Faberg
Roland Garros Series