fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Roger Federer Copa Davis" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Roger Federer Copa Davis" lang="pt-BR" xml:lang="pt-BR" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Roger Federer tênis" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2015/federer/0116_melbourne_treina_int.jpg" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2015/federer/0116_melbourne_treina_int.jpg" />
Notícias | Dia a dia | Australian Open
Federer destaca mudança na rotina de treinamento
17/01/2015 às 11h33
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2015/federer/0116_melbourne_treina_int.jpg" title="Suíço estreia em Melbourne nesta segunda-feira" />

Suíço estreia em Melbourne nesta segunda-feira

Foto: Divulgação
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d

Melbourne (Austrália) - Entrando para a disputa de seu 16º Australian Open, Roger Federer faz ajustes em sua rotina de preparação par o primeiro Grand Slam do ano. Aos 33 anos, o suíço tem passado um tempo menor em quadra, apostando no tradicional 'Menos é Mais'.

"Minha rotina mudou porque preciso de mais cuidado para não me machucar. Às vezes, menos é mais. A qualidade é mais importante que a quantidade", disse Federer, em entrevista coletiva concedida neste sábado, em Melbourne.

"Quando você é jovem, não importa se você está cansado, você tem que passar por treinos mais puxados. Eventualmente, você ganha experiência e sabe o que precisa para se preparar para um torneio, e na pré-temporada. Aos 33 anos, as coisas são um pouco diferentes hoje do que eram há 10 anos", acrescentou Federer.

No início da semana, o preparador físico Pierre Paganini, que o acompanha há 15 anos, explicou ao portal suíço RTS que Federer treinava por três dias na pré-temporada e descansava um, diferentemente do esquema de trabalhar cinco e folgar dois, que adotava anteriormente.

Semifinalista na edição passada em Melbourne, caindo para Rafael Nadal, Federer acredita chegar ao primeiro Slam de 2015 pronto para jogar em alto nível. O suíço estreia na rodada noturna de segunda-feira (não antes de 6h da manhã no horário de Brasília) contra o experiente taiwanês Yen-Hsun Lu.

"Claramente as coisas estão mais calmas este ano", avaliou o vice-líder do ranking. "No ano passado, teve a troca de raquete e a lesão nas costas. Então eu precisava de jogos para ver como lidaria com isso. Chego para este Australian Open jogando bem. Consegui vencer Brisbane na semana passada e estou muito mais seguro para o torneio".

Na condição de jogador experiente, Federer sente um ambiente diferente no Australian Open, em relação aos três outros Grand Slam, além de destacar as constantes inovações promovidas pela organização do evento.

"A cidade, em comparação com as outras três, claramente é menor. É fácil de se locomover. E tudo é muito conveniente aqui. Não que as outras também não sejam bem organizadas", disse o suíço, que comemorou o fato de mais uma quadra do Melbourne Park, a Margaret Court, ter recebido um teto retrátil neste ano. "Agora com três quadras cobertas, é possível que o torneio continue, independentemente das condições climáticas, o que é apenas para todos nós".

Ainda que não tenha conquistado nenhum Slam em 2014, o ano passado foi especial para o suíço que pela primeira vez conquistou o título da Copa Davis por seu país. Com o objetivo cumprido, Federer ainda não sabe se permanecerá na equipe, mas só decidirá o futuro depois do Australian Open.

"Eu provavelmente vou decidir depois do Australian Open. É claro que é difícil sair depois de jogar por 15 anos e finalmente ganhar a Copa Davis. Sempre foi um objetivo meu, do tênis suíço, e dos caras da equipe. Estou falando com o capitão e verei qual é o plano para ele, para mim e para todos".

Últimas notícias
Comentários
Faberg
Roland Garros Series