fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Maria Sharapova, Alexandra Panova, Zarina Diyas Copa Davis" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Maria Sharapova, Alexandra Panova, Zarina Diyas Copa Davis" lang="pt-BR" xml:lang="pt-BR" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Maria Sharapova, Alexandra Panova, Zarina Diyas tênis" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2015/sharapova/0121_melbourne_fore_int.jpg" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2015/sharapova/0121_melbourne_fore_int.jpg" />
Notícias | Dia a dia | Australian Open
Sharapova reconhece que o mental fez a diferença
21/01/2015 às 06h28
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2015/sharapova/0121_melbourne_fore_int.jpg" title="Sharapova salvou dois match points nesta quarta-feira" />

Sharapova salvou dois match points nesta quarta-feira

Foto: Site Oficial
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d

Melbourne (Austrália) - Passado o susto pela quase eliminação precoce no Australian Open, Maria Sharapova destacou o quanto o fator psicológico foi fundamental nesta quarta-feira. Ciente de que não jogou seu melhor tênis, a número 2 do mundo teve de salvar dois match points diante da compatriota Alexandra Panova para avançar à terceira rodada no Melbourne Park.

"É sempre bom superar um desafio como esse, depois de ficar a um ponto de ser eliminada", disse Sharapova em entrevista coletiva após o jogo. "Acho que fiquei pensando demais no que eu estava fazendo de errado, avaliou a jogadora de 27 anos, que venceu por 6/1, 4/6 e 7/5.

"No momento em que você está atrás e que está fazendo um monte de erros, você não tem um bom ritmo em quadra. Então eu realmente tentei tirar-lhe um ponto de cada vez e pensar positivo", acrescentou a russa.

Um dos pontos chave para a virada no terceiro set diante da número 150 do mundo foi tentar "entrar na cabeça" da adversária menos experiente. Quando Panova teve que sacar para o jogo, Sharapova adotou uma tática ainda mais agressiva, para pressionar o saque da adversária.

"Ela sacou muito bem em alguns games, onde eu não tive muitas chances. Quando eu tive, tentei colocar mais pensamentos em sua mente, mandando aqueles primeiros saques de volta. Acho que isso foi muito importante", disse Sharapova, que salvou os dois match points com winners de forehand, sendo um deles diretamente na devolução.

"Quando outras coisas não estão funcionando, talvez o lado mental ajude. Creio que, no final, talvez seja isso que eu fiz".

Diante de uma chave cheia de surpresas, Sharapova agora enfrenta a cazaque Zarina Diyas, que venceu uma batalha de 2h40 contra a eslovaca Anna Karolina Schmiedlová por 3/6, 6/2 e 8/6. Com uma adversária jovem e em rápida evolução no circuito, a russa vê na tecnologia uma aliada, mas mantém o foco em seu próprio tênis.

"Diyas é uma cabeça de chave agora com alguns de seus resultados no ano passado. Eu tenho certeza que meu treinador [Sven Groeneveld] está lá fora assistindo um pouco e vamos conversar depois. O YouTube também é uma boa fonte", disse Sharapova. "Mas eu não acho que o foco é realmente no outro lado, especialmente após o jogo de hoje, quero focar no que eu tenho que fazer".

Últimas notícias
Comentários
Faberg
Roland Garros Series