fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Andy Murray, Roland Garros, Novak Djokovic, Rafael Nadal, Copa Davis" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Andy Murray, Roland Garros, Novak Djokovic, Rafael Nadal, Copa Davis" lang="pt-BR" xml:lang="pt-BR" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Andy Murray, Roland Garros, Novak Djokovic, Rafael Nadal, tênis" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2015/murray/0522_rg_fala_int.jpg" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2015/murray/0522_rg_fala_int.jpg" />
Notícias | Dia a dia | Roland Garros
'Nunca me senti tão bem no saibro', diz Murray
23/05/2015 às 21h47
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2015/murray/0522_rg_fala_int.jpg" title="Murray vem de dez vitórias seguidas no piso" />

Murray vem de dez vitórias seguidas no piso

Foto: Site Oficial
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d

Paris (França) - Vindo das conquistas de seus dois primeiros títulos em quadras de saibro na carreira, Andy Murray chega a Paris disposto a manter a boa fase. Confiante de que poderá repetir as apresentações de Munique e Madri, o número 3 do mundo aponta que nunca esteve tão à vontade no piso.

"É provavelmente o melhor que eu tenho jogado no saibro, com certeza", disse Murray, que venceu todoso os dez jogos que fez no piso nesta temporada. "Eu realmente nunca senti confortável. No passado, era como se estivesse lutando com meu movimento", lembrou o britânico.

"Este ano, não. Estou indo bem, eu me sinto muito mais livre em quadra. Isso é postitivo. Ganhar torneios e derrotar bons jogadores ajuda com a confiança também", complementou.

O cenário para Murray é bem diferente do ano passado, quando havia encerrado o trabalho com Ivan Lendl, com quem havia ganhado os dois títulos de Slam da carreira e ainda buscava um novo técnico.

Hoje, Murray é treinado pela francesa Amelie Mauresmo e ainda conta com a colaboração do sueco Jonas Bjorkman. "É muito bom ter a experiência de ex-jogadores nessa fase do ano", avalia.

"Amelie me dá muitos conselhos, com base em toda a experiência dela em jogar esses torneios. Um dos benefícios de trabalhar com alguém que jogou esses eventos é queeles também estão cientes das pressões e coisas que vêm quando você tenta ganhar um evento como este" .

Posicionado em um setor da chave em que pode cruzar o caminho de David Ferrer nas quartas de final e estando na mesma metade que Novak Djokovic e Rafael Nadal, que podem enfrentá-lo na semi, Murray acredita que o sérvio larga com favoritismo.

"Para mim Novak [Djokovic] entra no torneio como o favorito agora, mas o histórico de Rafa é incrível", ponderou Murray.

"Ele vai se sentir melhor e melhor, porque ama as condições aqui. Seria estupidez dizer que ele não pode ganhar ou não vai ganhar o evento. É definitivamente possível".

Murray inicia sua campanha contra o argentino Facundo Arguello. Já na terceira rodada, há possibilidade de encontro com o australiano Nick Kyrgios, enquanto nomes como David Goffin e John Isner podem ser seus adversários nas oitavas de final. Ele já foi duas vezes semifinalista em Paris, em 2011 e no ano passado.

Últimas notícias
Comentários