fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Milos Raonic, Gael Monfils, Andy Murray Copa Davis" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Milos Raonic, Gael Monfils, Andy Murray Copa Davis" lang="pt-BR" xml:lang="pt-BR" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Milos Raonic, Gael Monfils, Andy Murray tênis" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2016/raonic/0127_ausopen_toss_int.jpg" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2016/raonic/0127_ausopen_toss_int.jpg" />
Notícias | Dia a dia | Australian Open
Raonic sai satisfeito com desempenho nas quartas
27/01/2016 às 13h20
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2016/raonic/0127_ausopen_toss_int.jpg" title="Canadense bateu Monfils e agora desafia Murray" />

Canadense bateu Monfils e agora desafia Murray

Foto: Divulgação
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d

Melbourne (Austrália) - Classificado para semifinal do Australian Open após vitória em quatro sets sobre Gael Monfils nas quartas, Milos Raonic ficou satisfeito com atuação diante do francês. Será a segunda semi de Slam em sua carreira.

"Eu fiz bem as coisas. Mesmo no segundo set, antes de ser quebrado, criei algumas oportunidades, mas ele saiu com grandes saques e eu ainda tive uma outra chance mais tarde naquele set", lembrou Raonic, após a vitória por 6/3, 3/6, 6/3 e 6/4. "Senti que estava ditando os pontos na maior parte do tempo e fui bastante eficiente fora da linha de base. Quando eu tive a chance, eu vim para a frente e definia os pontos", acrescentou o canadense.

"Talvez eu tenha sido um pouco passivo no segundo set, mas a partir do terceiro ficou muito melhor para mim. Fico feliz com a maneira como lidei com as coisas, como eu joguei, suplantando o desempenho de dois dias atrás", lembrou o algoz de Stan Wawrinka nas oitavas.

Com uma longa parcela de sua formação na Espanha com Galo Blanco e agora trabalhando com Carlos Moyá, Raonic destaca a evolução dos golpes de base e também se sente melhor defensivamente. Eu acho que eu sei melhor como usar meus golpes do fundo de quadra, mas ao mesmo tempo, isso acontece porque eu estou pegando a bola em posição melhor, é mais fácil", explica o canadense de 1,96m.

"Eu não sinto que estou sendo empurrado para todos os lados da quadra, sinto que eu posso encontrar meu caminho de volta. Eu não tenho que correr tanto no meio dos ralis. Eu posso neutralizar um pouco melhor", avaliou. "No fim das contas, quanto melhor eu fizer isso, ainda não é o que me vai fazer vencer as partidas. É uma questão de tomar a iniciativa nos pontos e ser agressivo".

Raonic desafia o número 2 do mundo Andy Murray na semifinal. O histórico marca 3 a 3, e embora a última partida tenha ocorrido no saibro de Madri do ano passado, um referencial para o canadense é o duelo ocorrido no ATP Finals de 2014. "Antes de entrar em quadra hoje, eu estava prestando atenção no que ele estava fazendo. Porque há 14 meses, nós dois éramos muito diferentes e acho somos jogadores melhores desde então".

"Então, eu tenho alguns aspectos que gostaria de usar no meu jogo, e tenho certeza que ele vai tentar fazer coisas diferentes também. Eu acho que vai ser uma corrida para saber quem chega primeiro em sua zona de conforto", finalizou.

Últimas notícias
Comentários
Faberg
Roland Garros Series