Notícias | Dia a dia | Roland Garros
Para Murray, dificuldades fazem parte do jogo
27/05/2017 às 14h40

Número 1 do mundo, Murray é apenas o 13º no ranking da temporada

Foto: Divulgação

Paris (França) - Ciente de que não vem jogando um bom tênis nesta temporada, Andy Murray acredita que as dificuldades fazem parte do jogo, ainda mais depois de uma temporada espetacular que ele teve no ano passado, que culminou com sua chegada ao topo do ranking mundial.

"Os últimos meses não foram bons. Eu não tenho jogado bem", disse Murray em sua primeira entrevista coletiva em Roland Garros. 

"Mas embora seja frustrante, as dificuldades fazem parte do jogo e são elas que tornam os bons momentos tão prazerosos", acrescenta o atual vice-campeão do Grand Slam francês.

Embora seja o líder do ranking, Murray é apenas o 13º colocado considerando apenas os pontos conquistados em 2017. Ele venceu 16 jogos no ano, com um título em Dubai, e perdeu sete. Na temporada de saibro, fez apenas nove jogos, com cinco vitórias e quatro derrotas.

"Quando você consegue algo muito grande, pode ser natural que você sofra por alguns meses. Isso acontece muito no esporte", comentou o britânico de 30 anos.  

"Eu me senti assim depois de ter ganhado Wimbledon pela primeira vez (em 2013). Eu tinha alcançado meu maior objetivo e me sentia um pouco perdido depois", avaliou o vencedor de três títulos de Grand Slam.  

"Você precisa então redefinir seus objetivos", comenta o líder do ranking. "Eu sei porque eu jogo tênis: É porque eu porque eu amo e desfruto do meu tempo em quadra. Vou continuar trabalhando até que eu volte para onde eu quero chegar".

A estreia de Murray em Roland Garros será contra o russo Andrey Kuznetsov, 85º do ranking, a quem derrotou nos dois embates anteriores. Adversário do britânico, Kuznetsov possui apenas duas vitórias contra top 10 na carreira.

Comentários