Notícias | Dia a dia
Conheça as mães do circuito e as campeãs de Slam
27/09/2017 às 16h19

Clijsters venceu três de seus quatro títulos de Grand Slam após o nascimento de sua primeira filha, Jada, em 2008. A belga teve mais dois filhos depois de encerrar a carreira.

Foto: Arquivo
por Mário Sérgio Cruz

Com as perspectivas de retorno às quadras das ex-líderes do ranking Serena Williams e Victoria Azarenka na próxima temporada, cresce a possibilidade de uma jogadora conquistar um Grand Slam depois de se tornar mãe. Apenas três mulheres já conseguiram tal feito durante a Era Aberta do Tênis.

A primeira mulher a vencer um Grand Slam após se tornar mãe foi Margaret Court, recordista de títulos em todos os tempos com 24 no total, sendo onze na Era Aberta. Daniel, primeiro dos quatro filhos de Court, nasceu em fevereiro de 1972. A jogadora australiana voltaria às quadras no ano seguinte e conquistou os títulos do Australian Open, de Roland Garros e do US Open. 

Depois de uma nova pausa na carreira para o nascimento do segundo filho em 1974, Court ainda venceu mais dois títulos de WTA, em Melbourne e Chicago. Sua trajetória no circuito profissional chegou ao fim em 1977.

 A australiana Evonne Goolagong foi a única mãe a vencer Wimbledon na Era Aberta

A australiana Evonne Goolagong foi a única mãe a vencer Wimbledon na Era Aberta

O segundo caso é o da também australiana Evonne Goolagong, dona de sete títulos de Grand Slam. Goolagong já tinha cinco troféus de Slam quando sua filha Kelly nasceu em maio de 1977. No mesmo ano, ela voltou às quadras e venceu o Australian Open (que foi disputado em dezembro). Já em 1980, a australiana foi campeã de Wimbledon, tornando-se a única mãe a vencer o Slam britânico na Era Aberta e também a primeira desde Dorothea Chambers em 1914.

Já a campeã mais recente foi a belga Kim Clijsters, que comemorou o nascimento da filha Jada em fevereiro de 2008. Convidada para o US Open do ano seguinte, a ex-número 1 do mundo conquistou o título logo em seu terceiro torneio desde o retorno às quadras. A belga ainda venceu quatro títulos na temporada 2010, com destaque para mais um US Open e para o WTA Finals e ainda levou o Australian Open de 2011, chegando a ocupar a liderança do ranking pela última vez entre os dias 14 e 20 de fevereiro.

Clijsters encerrou a carreira profissional em 2012 com 41 títulos na carreira, sendo quatro Grand Slam. Ela teve mais dois filhos, Jack Leon nasceu em outubro de 2013 e Blake Richard veio ao mundo em outubro do ano passado. Hoje com 33 anos, a belga passou a ser integrante do Hall da Fama do Tênis a partir desta temporada.

Serena e Azarenka - Azarenka, que foi mãe do pequeno Leo em dezembro do ano passado, chegou a voltar às quadras em junho para jogar na grama de Mallorca e Wimbledon. Mas o término do relacionamento com Billy McGee, pai de Leo, colocou a bielorrussa de 28 anos em uma disputa judicial pela guarda da criança que a impediu de disputar o US Open. Caso consiga solucionar o impasse ainda nas próximas semanas, a atual número 200 do mundo, tem o aval dos organizadores do WTA de Luxemburgo para a concessão de um convite para a chave principal do torneio que acontece entre os dias 16 e 21 de outubro.

Victoria Azarenka é mãe do pequeno Leo desde dezembro do ano passado

Victoria Azarenka é mãe do pequeno Leo desde dezembro do ano passado

Já Serena é mãe há pouco menos de um mês. Ela estava grávida quando conquistou o Australian Open, em janeiro, quando se isolou como recordista de títulos de Grand Slam na Era Aberta com 23 conquistas, e comemorou o nascimento da filha Alexis Olympia Ohanian Jr. no dia 1º de setembro. 

A ex-líder do ranking só disputou dois torneios este ano, mas os 2 mil pontos garantidos no Grand Slam australiano são suficientes para que ela permaneça entre as trinta melhores do mundo. A americana que completou 36 anos na última terça-feira está na 23ª posição já afirmou que pretende retomar a carreira no início do ano que vem para defender o título em Melbourne, onde busca o oitavo troféu. 

Outras mamães do tênis - Quando Serena e Azarenka voltarem às quadras, elas terão a companhia de outras seis mães na elite do circuito feminino: Tatjana Maria, Patty Schnyder, Evgeniya Rodina, Katerina Bondarenko, Vera Zvonareva e Casey Dellacqua.

Aos 30 anos Tatjana Maria é a atual 53ª colocada e aparece nesta semana com o melhor ranking da carreira. Ela deu à luz à filha Charlotte em dezembro de 2013. Bondarenko também foi mãe em 2013, ano de nascimento da filha Karin, e ocupa o 133º lugar do ranking aos 31 anos. Por sua vez, Rodina é mãe da pequena Anna desde novembro de 2012 e voltou ao circuito na temporada seguinte. A russa de 28 anos é 84ª colocada e foi 74ª em 2011.

Tatjana Maria teve a filha Charlotte em dezembro de 2013. A alemã de 30 anos está com o melhor ranking da carreira

Tatjana Maria teve a filha Charlotte em dezembro de 2013. A alemã de 30 anos está com o melhor ranking da carreira

Ex-número 2 do mundo em 2010, a russa Vera Zvonareva está retomando a carreira na atual temporada depois de conviver com lesões, problemas de saúde e com a gestação da filha Evelyn nos últimos anos. Enquanto esteve inativa, a russa de 33 anos conseguiu seu terceiro diploma universitário. Outra ex-top 10, a suíça Patty Schnyder tem 38 anos e teve a filha Kim em dezembro de 2014. Zvonareva aparece hoje apenas no 308º lugar, enquanto Schnyder é a número 169, mas ambas vem recebendo convites e disputando qualificatórios para os principais torneios do calendário. 

Já a australiana Casey Dellacqua direcionou sua carreira para as duplas depois de ter sofrido uma concussão após queda em quadra em outubro de 2015. Ex-top 30 em simples, a australiana de 32 anos já foi número 3 do ranking de duplas no ano passado e atualmente está no 14º lugar. Dellacqua é mãe de dois filhos ao lado de sua companheira Amanda Juud, que realizou os procedimentos de reprodução assistida para não forçar uma longa interrupção da carreira da tenista. Blake Benjamin nasceu em agosto de 2013 e a caçula Andie veio ao mundo em abril do ano passado.

Comentários
Loja TenisBrasil
Mundo Tênis