Notícias | Dia a dia
Garcia prevalece em Wuhan e conquista maior troféu
30/09/2017 às 11h34

Garcia venceu seu quarto título, sendo o primeiro Premier

Foto: Divulgação

Wuhan (China) - Em uma surpreendente final no WTA Premier de Wuhan, prevaleceu a maior experiência e principalmente a condição física de Caroline Garcia. A francesa de 23 anos e número 20 do mundo superou a embalada australiana Ashleigh Barty, 37ª colocada aos 21 anos, por 6/7 (4-7), 7/6 (7-3) e 6/2 em 2h43 para conquistar o título mais importante da carreira.

Até então, Garcia havia vencido apenas três torneios da WTA e todos eles de nível International, no saibro de Bogotá e Estrasburgo e na grama de Mallorca. Com os novecentos pontos conquistados nesta semana, Garcia terá seu melhor ranking da carreira ao chegar ao 16º lugar.

Barty também terá seu melhor ranking, chegando ao 23º lugar. A jovem australiana só tinha uma vitória contra top 10 na carreira antes deste torneio, em que eliminou Johanna Konta, Karolina Pliskova e Jelena Ostapenko. Ela também passou por Agnieszka Radwanska, 13ª do mundo.

Por conta do regulamento da WTA e de um acordo entre os promotores dos dois torneios, as finalistas de Wuhan ganham folga na primeira rodada do Premier de Pequim, que acontece na próxima semana. Barty espera pela ucraniana Elina Svitolina ou a chinesa Lin Zhu, enquanto Garcia aguarda a partida entre a belga Elise Mertens e a eslovaca Dominika Cibulkova.

Como de costume, Barty apostou em seu tradicional estilo de jogo com muitos slices e variações de altura e velocidade, enquanto Garcia sustentava as trocas do fundo. A francesa foi a primeira a quebrar ainda no quinto game e só havia enfrentado dois break points até liderar por 5/3.

Barty não apenas confirmou o serviço com autoridade quando mais precisou como conseguiu devolver a quebra logo na sequência. As jogadoras trocaram quebras mais uma vez antes do tiebreak. No desempate, Garcia perdeu dois pontos importantes em seu serviço, com uma dupla-falta e um erro não-forçado de forehand, enquanto a australiana manteve o saque para fechar a parcial.

As sacadoras tiveram mais dificuldade no segundo set, que teve quatro quebras para cada lado. Barty abriu 2/0 e permitiu o empate, além de também liderar por 4/3, 5/4 e 6/5, perdendo duas chances de sacar para o jogo. Com muitos erros não-forçados, a australiana começou o tiebreak em desvantagem e até buscou uma reação ao vencer dois pontos seguidos no saque da adversária, mas voltaria a perder pontos em seus games de saque e permitiu o empate na partida.

Já no terceiro set, Garcia era quem sinalizava estar melhor fisicamente. A francesa tinha ampla vantagem nas trocas de fundo e via as bolas que Barty usava ficarem cada vez mais curtas. A australiana tentou ir mais vezes à rede para equilibrar as ações, mas acabou perdendo o saque no terceiro game e ofereceu pouca resistência nos games finais, perdendo o saque mais uma vez antes do término da disputa.

Comentários
Loja TenisBrasil
Mundo Tênis