Notícias | Dia a dia | Australian Open
Djokovic pede união por maiores premiações
14/01/2018 às 23h42

Djokovic já faturou quase US$ 110 milhões em premiações

Foto: Divulgação

Melbourne (Austrália) - Novak Djokovic resolveu surpreender no encontro anual dos jogadores que acontece todo começo de ano antes do Australian Open. Segundo afirma o Daily Mail, depois de discurso da diretoria da ATP e da organização do Grand Slam australiano, o sérvio tomou a palavra, pediu que todos os representantes saíssem de quadra e que apenas os jogadores ficassem para então defender uma exigência por maiores prêmios.

Entre os presentes na reunião estavam também o suíço Roger Federer, o britânico Andy Murray e o espanhol Rafael Nadal. De acordo com testemunhas, houve uma surpresa generalizada quando Djokovic tomou a palavra para defender que os jogadores se unissem em busca de premiações maiores em todos os torneios, incluindo Wimbledon.

Dono de 12 títulos de Grand Slam, o ex-número 1 do mundo acredita que os tenistas não são pagos o suficiente em comparação a estrelas de outros esportes. Djokovic já faturou quase US$ 110 milhões em premiações e vive em Mônaco, um paraíso fiscal onde paga impostos bem menores em relação ao dinheiro que fatura.

A ideia do sérvio parece que vai de encontro ao que pensa Federer, um dos jogadores mais respeitados do circuito. Até o momento que Djokovic tomou a palavra para colocar o seu ponto, a reunião corria sem surpresa alguma, com Craig Tiley, diretor do Austraian Open, fazendo sua apresentação para os 150 jogadores presentes. Também falou no encontro o presidente da ATP Chris Kermode e o britânico Ross Hutchins, ex-tenista profissional e atual chefe da representação dos jogadores.

Comentários