Notícias | Dia a dia | Australian Open
Nadal espera bom senso às vésperas de onda de calor
17/01/2018 às 11h50

Espanhol espera que o teto seja utilizado caso esteja muito quente

Foto: Divulgação

Melbourne (Austrália) - Embora não vá jogar na próxima quinta-feira, Rafael Nadal mostra preocupação com as condições das quadras no quarto dia do Australian Open. Isso porque está previsto o início de uma onda de calor que deve elevar a temperatura em Melbourne para quase 40º C. O número 1 do mundo espera que os organizadores do Grand Slam australiano tenham bom senso e utilizem o teto retrátil das três principais quadras se for necessário.

"Se as condições forem extremas, espero que a organização use o teto. Isso é tudo. Acho que isso é uma questão de saúde. Mesmo eu que gosto de jogar com calor às vezes, sei que quando está muito quente é perigoso para a saúde. Por sinal, vou treinar em quadra coberta amanhã", disse Nadal após a vitória por 6/3, 6/4 e 7/6 (7-4) sobre o argentino Leonardo Mayer nesta quarta-feira.

"Eu não gostaria de ver aqui desistências ou condições que criam um espetáculo ruim para o público, porque eles também sofrem com o calor. Nas quadras que temos o teto, por que não utilizá-los quando as condições são tão extremas?", avaliou o líder do ranking. As arenas Rod Laver, Hisense e Margaret Court contam com a tecnologia.

O espanhol, que já fez parte do conselho dos jogadores anteriormente, comentou sobre as recentes vitórias fora de quadra a favor dos colegas com ranking mais baixo, especialmente nas premiações dos torneios. "Acredito que o tênis melhorou muito nos últimos anos para os jogadores de ranking mais baixo. Nós brigamos com os torneios -não brigando de uma forma negativa, mas lutamos para que esses jogadores tivessem mais dinheiro para sobreviver".

"Um esporte não é maior quando só os melhores jogadores ganham muito dinheiro. Ele é maior quando cria muitos empregos. Se existem 300 pessoas que vivem de tênis, isso é melhor do que se houver apenas 100. Mas essa é a minha opinião. Fato é que sempre que podemos, nós ajudamos os jogadores que mais precisam", explica o jogador de 30 anos.

Sobre seu segundo jogo no torneio, o atual vice-campeão comentou sobre a reação que Mayer treve na parte final do jogo, quebrando quando o espanhol sacava para fechar e forçando o tiebreak do terceiro set. "Particularmente hoje, eu não perdi o game por estar muito nervoso ou porque senti muita tensão. Ele fez um ótimo game, colocou todas as devoluções muito profundas, foi agressivo, bateu muito forte em todas as bolas e teve sucesso".

"Tive poucas chances. Forcei o 40 iguais duas vezes, mas é isso. Ele simplesmente arriscou. O adversário sempre terá uma chance se jogar agressivo. Se ele acerta naquele momento, fica difícil de parar. Eu poderia sacar um pouco melhor? Talvez sim. Mas não joguei pior que o resto dos games que eu ganhei", acrescenta o espanhol, que não sofreu nenhuma outra quebra de serviço no jogo.

O próximo adversário de Nadal será o bósnio Damir Dzumhur, 30º do mundo, contra quem abandonou o único duelo anterior, realizado há quase dois anos em Miami. "Ele melhorou muito desde então. É um adversário difícil e sabe jogar tênis muito bem. Ele sempre usa tática certa e é um jogador que não vai te dar nada de graça. A única maneira de ganhar é jogar com ritmo mais intenso que o dele e tentar ser agressivo. Isso é o que eu vou tentar fazer".

Comentários