Notícias | Dia a dia | Australian Open
Federer controla sacador e reencontra Gasquet
18/01/2018 às 10h32

Federer buscou grande variação no saque contra Struff

Foto: ATP

Melbourne (Austrália) - Sob calor de 34 graus mesmo no final da rodada noturna, o suíço Roger Federer teve alguns deslizes mas conseguiu dominar o saque pesado do alemão Jan-Lennard Struff, 55º do ranking, para ir à terceira rodada do Australian Open. O cabeça 2 e atual campeão anotou as parciais de 6/4, 6/4 e 7/6 (7-4), em duelo de 1h56.

Seu adversário em busca de vaga nas oitavas de final será o velho 'freguês' Richard Gasquet, que mais cedo teve muito pouco trabalho diante do qualificado italiano Lorenzo Sonego e anotou 6/2, 6/2 e 6/3. Federer venceu 16 dos 18 duelos diante do francês e soma 11 vitórias consecutivas desde a última derrota, em maio de 2011. Os dois se cruzaram nas quartas de Xangai, em outubro, com placar de 7/5 e 6/4.

Em suas 19 participações no Australian Open, Federer jamais deixou de atingir pelo menos a terceira rodada. Por isso, já soma 102 partidas - recorde na Era Profissional no torneio - e 89 vitórias. Ele tem também 102 em Wimbledon. Apenas Jimmy Connors disputou mais de uma centena de jogos num Slam, em Wimbledon (102) e US Open (115).

O primeiro set exigiu empenho de Federer. O alemão se mostrou solto desde o início, tentou usar sempre o saque para dominar os pontos e também obteve devoluções agressivas. O suíço usou muito bem o slice baixo para obter a única quebra, no quinto game, mas isso não intimidou Struff, que continuou buscando a rede para simplificar a tarefa.

O segundo set teve história parecida. Mesmo com 34% de acerto do primeiro saque, Struff foi se segurando até o sétimo game, quando então permitiu a quebra. Novamente, o suíço administrou muito bem e não deu sequer ponto no serviço até fechar a série.

O sucesso de Struff no terceiro set veio muito mais pelos altos e baixos de Federer. O suíço perdeu o serviço no quarto game quando tinha 30-0 e uma bola dominada e voltou a falhar no sexto game, permitindo dois break-points antes de anotar o empata por 3/3. Federer quase perdeu outro serviço por cometer erros não forçados e a decisão foi ao tiebreak, onde a experiência do suíço se mostrou determinante.

Comentários