Notícias | Dia a dia | Australian Open
Chung precisou de injeções para aliviar a dor
26/01/2018 às 12h19

Sul-coreano não pôde completar a partida com Federer na semifinal

Foto: Divulgação

Melbourne (Austrália) - Depois de não conseguir mostrar o mesmo tênis que encantou os fãs durante duas semanas no Australian Open e abandonar a semifinal contra Roger Federer ainda no segundo set, o sul-coreano compareceu à entrevista coletiva acompanhado de agente Stuart Duguid, da IMG. Como o tenista sul-coreano não tem tanto domínio da língua inglesa, coube a Duguid explicar a desistência por conta de bolhas no pé esquerdo.

"Posso responder por ele", disse Diguid. "É algo pior do que bolhas regulares. Nos últimos dias, foi se formando bolha sobre bolha. Ele raspou e agora ficou em carne viva. Ele tomou injeções para ver se aliviaria a dor, mas não funcionou. É muito pior do que uma bolha regular".

O representante do tenista também foi perguntado se ele sabia como esse tipo de formação ocorreu no corpo de Chung. "Eu acho que muitos jogadores tem calos. Com o tempo, eles raspam. Como ele fez muitos jogos seguidos, isso acabou acumulando. Eu acho que foi assim que as bolhas começaram".

Apesar da limitação física, o sul-coreano garante que não pensou na hipótese de não entrar em quadra e conceder a vitória por w.o. "Não pensei que não jogaria hoje. Eu vim para cá para jogar, mas não consegui terminar a partida".

"São muitos pensamentos juntos, mas acho que fiz a coisa certa. Se eu continuasse na quadra e jogando muito mal, também não seria bom para o público. Fico feliz em poder chegar à uma semifinal de Grand Slam. Quero ser mais forte no próximo ano", afirmou ao término de sua campanha.

Algoz de nomes como Novak Djokovic e Alexander Zverev, Chung sai feliz pela campanha que fez. Ele espera ainda que a confiança adquirida o ajude a chegar mais longe. "Eu aproveitei as duas semanas dentro e fora de quadra. Estou realmente feliz. Cheguei pela primeira vez às oitavas, às quartas e à semifinal. Joguei contra Sascha, Novak e Roger. Então tive boas experiências nas últimas semanas e acho que posso jogar melhor no futuro".

"É uma honra jogar com o Roger em uma semifinal de Grand Slam. Aprendi muito. Ele jogou muito bem hoje", disse o coreano, que explicou sobre o que mais aprendeu. "Acho que ganhei confiança. Eu enfrentei bons jogadores nas últimas duas semanas e estarei mais confortável em quadra contra grandes jogadores como o Roger na próxima vez".

Depois de fazer história para seu país ao se tornar o primeiro jogador sul-coreano em uma semifinal de Grand Slam, Chung ainda pensa em seus próximos objetivos. A meta imediata é ficar livre de lesões, que comprometeram sua escalada no top 100 nos últimos anos. "Acho que já cumpri alguns objetivos, vou ter o melhor ranking da história da Coréia e fiz o melhor resultado em Grand Slam. São dois objetivos. A próximo agora é terminar o ano sem lesões".

Comentários
Faberg
Roland Garros Series