Notícias | Dia a dia | Australian Open
Halep ou Wozniacki enfim será número 1 com Slam
26/01/2018 às 17h09

Uma das duas encerrará o jejum de títulos de Slam

Foto: Divulgação

Melbourne (Austrália) - A romena Simona Halep e a dinamarquesa Caroline Wozniacki compartilham algo mais do que a final do Australian Open que será disputada a partir das 6h30 deste sábado. Ambas integram uma lista de jogadoras que chegaram à liderança do ranking antes de ganhar um Grand Slam e ainda perseguem o tão sonhado título. Quem levar a melhor na decisão não apenas conseguirá alcançar o feito, mas também sairá do Melbourne Park ostentando o posto de número 1.

Sete jogadoras atingiram o lugar mais alto no ranking da WTA antes de vencer um dos quatro principais torneios do circuito, sendo que duas delas, a belga Kim Clijsters e a francesa Amelie Mauresmo, conseguiram posteriormente seus títulos, algo que também acontecerá com a campeã na Austrália. Já a derrotada seguirá ao lado da sérvia Jelena Jankovic, da russa Dinara Safina e da tcheca Karolina Pliskova na lista de número 1 sem Slam.

Outras coincidências entre Halep e Wozniacki marcam o duelo entre as duas na decisão. Além de ambas irem para a terceira final de Slam da carreira, a romena com dois vices em Roland Garros (2014 e 2017) e a dinamarquesa com dois vices no US Open (2009 e 2012), elas tiveram uma caminhada tortuosa até a final e enfrentaram match-points contra durante as respectivas campanhas.

Um eventual título da dinamarquesa a fará ser a quarta jogadora da Era Aberta que mais demorou para vencer um dos quatro principais títulos, precisando de 43 Slam para isso. Na sua frente estarão apenas a italiana Flavia Penneta (49), a francesa Marion Bartoli (47) e a tcheca Jana Novotna (45). Do outro lado, a romena também tem uma das dez maiores esperas, até então com 31 eventos jogados.

Atual número 1, Halep pode repetir o que outras 20 líderes fizeram no torneio, vencendo como principal favorita, sendo a última delas a norte-americana Serena Williams em 2015. A romena chega para o duelo com a dinamarquesa com muito mais tempo dentro de quadra em sua campanha, gastando 11h51 contra 9h59 de Wozniacki, que também leva a vantagem no retrospecto entre as duas, somando quatro vitórias em seis jogos.

Será a primeira vez que elas medirão forças em um torneio deste porte e também em uma final. Wozniacki levou a melhor nos últimos três encontros, dois deles no ano passado, mas no piso duro cada uma tem dois triunfos. A vencedora do duelo no sábado se tornará a 48ª campeã diferente de Slam da Era Aberta.

Comentários
Faberg
Roland Garros Series