Notícias | Dia a dia
Após difícil vitória, Monteiro destaca a paciência
30/03/2022 às 15h55

Monteiro venceu uma partida de 3h23 nesta quarta-feira, pelas oitavas em Oeiras

Foto: Federação Portuguesa de Tênis

Oeiras (Portugal) - Depois de vencer um jogo duríssimo pelas oitavas de final do challenger de Oeiras, no saibro português, Thiago Monteiro destacou a paciência que teve para superar o cazaque Timofey Skatov nesta quarta-feira. O número 1 do Brasil esteve em quadra por 3h23, diante de um adversário muito sólido nos ralis de fundo. Monteiro também falou sobre a influência do vento e a dificuldade para controlar a trajetória da bola em alguns momentos da partida.

"Foi bem complicado. Hoje estava difícil controlar a bola em alguns momentos, por causa do vento, então eu tive que ser bem paciente. Mas pelo menos hoje eu não tive que salvar match-point, diferente da primeira vez que joguei contra ele", disse Monteiro, após a vitória por 6/7 (5-7), 6/2 e 7/6 (7-4). Foi o segundo encontro entre ele e Skatov. O primeiro também foi bastante equilibrado e terminou com vitória brasileira no challenger de Campinas do ano passado.

"No primeiro set, eu tive chances de ganhar e acabei não aproveitando. Mas no segundo eu saí muito bem e mantive uma capacidade mental boa. Fico feliz por isso, de ter competido bem e de não ter baixado a intensidade ou a motivação em nenhum momento", avaliou o cearense de 27 anos e 116º do ranking. "Em algumas oportunidades eu poderia ter aberto mais vantagem, mas ele também teve seus méritos. É um jogador muito sólido, que corre muito bem. Então, foi um jogo muito mental, muito competitivo. E no final, consegui jogar em um grande nível no tiebreak".

"Eu sabia que o jogo dependeria muito mais do que eu conseguiria produzir. Ele é um cara que apresenta muita solidez, muita consistência, sempre joga meio que igual, mas te força os erros. Acho que hoje ele sacou 99% das vezes nas minhas esquerdas, tanto no iguais quanto na vantagem. É algo que ele se dedica a fazer do começo ao fim e faz muito bem", explicou o número 1 do Brasil, que agora enfrenta o português Nuno Borges. "Tive que me manter tranquilo e as chances apareceram. Tentei jogar de maneira sólida também e construir os pontos com paciência. Já esperava muitos ralis. Em alguns momentos eu cometi erros, mas é normal e faz parte do meu estilo de jogo também. Sem dúvida, conseguir vencer o tiebreak e terminar em alto nível foi o mais importante".

"Tive que trabalhar muito bem a mente, porque no momento em que você abaixa um pouco o nível, ele vai continuar jogando de maneira muito sólida, enquanto você começa a se perder um pouco no jogo, começa a errar várias bolas seguidas e fazer escolhas ruins na quadra. Então, isso era o mais importante", complementou o tenista, que disputará dois challengers em Portugal e tenta voltar ao top 100 a tempo de conseguir a vaga direta na chave de Roland Garros.

O cearense planeja ficar doze semanas na Europa
Monteiro planeja passar 12 semanas jogando na Europa e agradeceu aos torcedores brasileiros que compareceram nesta quarta-feira. "Foi um grande jogo, apareceram alguns brasileiros aqui hoje. O público compareceu bem e estou muito contente por poder seguir no torneio. Eu gosto dessa energia que me transmitem e consigo pegar para mim. Então sempre que tem casa cheia e público a favor, eu consigo aproveitar bastante".

"Para nós [brasileiros e demais sul-americanos], essa gira na Europa é geograficamente complicada. Eu vou ficar 12 semanas direto. Quando falo isso para qualquer europeu que me pergunta, eles eles acham que estou maluco. Geralmente, o pessoal que mora aqui fica no máximo duas ou três semanas fora de casa. Perde um torneio, pega o trem e volta para casa. Então eles estão sempre com a mente mais fresca. Mas a gente já vem preparado e já estamos acostumados com isso".

Comentários
Omaki
Arena BTG