Notícias | Dia a dia | Roland Garros
'Não sei se vou jogar na grama', afirma Djokovic
05/06/2018 às 15h47

O sérvio não costuma jogar torneios preparatórios para Wimbledon

Foto: Divulgação

Paris (França) - Eliminado nas quartas de final em Roland Garros e descontente com a atuação que teve nesta quarta-feira nesta quarta-feira no saibro francês, Novak Djokovic colocou em dúvida sua participação na temporada de grama, que começa na próxima semana. O sérvio não entrou em detalhes, mas foi taxativo.

"Eu não sei se vou jogar na grama", disse Djokovic. Tradicionalmente, o sérvio descansa no intervalo entre Roland Garros e Wimbledon e não disputa torneios preparatórios para o Grand Slam britânico, participando apenas de exibições. No ano passado, o sérvio jogou em Eastbourne e foi campeão, mas não está inscrito para a edição 2018 do ATP 250 e nem para os torneios de Queen's e Halle.

Djokovic não escondeu a frustração após a derrota por 6/3, 7/6 (7-4), 1/6 e 7/6 (13-11) em 3h26 para o italiano Marco Cecchinato, 72º do ranking. Um dos fatores que mais desanimava o sérvio era franca recuperação que ele vinha tendo no circuito durante a temporada de saibro, depois de ter sofrido com uma lesão no cotovelo direito.

"Qualquer derrota é dolorida em um Grand Slam, mas especialmente uma que veio depois de meses de preparação. Tinha uma grande chance de dar um passo adiante, mas não foi possível. Acontece", avaliou o campeão de 2016.

"Ele jogou um tênis incrível e merece todo crédito. Ele começou a partida muito bem, eu lutei desde o começo, mas infelizmente demorei a ficar bem. Depois que eu estava aquecido, fui melhor, mas não consegui aproveitar minhas oportunidades. Em alguns momentos, também faltou sorte para mim".

"É uma pena que eu não tenha conseguido capitalizar as chances que tive no 4/1 do quarto set", explica o sérvio que teve três break points naquele logo game. "Ele suportou surpreendentemente bem a pressão nos momentos importantes e voltou para o jogo. Mérito dele", complementou o jogador de 31 anos.

Por mais que estivesse insatisfeito com seu nível de tênis, Djokovic fez questão de cumprimentar e abraçar o adversário, que já foi seu parceiro de treinos em muitas oportunidades, após a partida. "Nunca foi um problema para mim parabenizar e abraçar os adversários. Nós compartilhamos um grande momento e ele mereceu ganhar".

O ex-número 1 do mundo também falou pouco sobre os problemas físicos que teve durante a partida. "Foram só algumas coisas, mas nada muito importante. Não quero falar sobre isso".

Comentários