Notícias | Dia a dia
Federer pediu 2 milhões de euros para Roterdã
06/06/2018 às 08h55

Federer jogou este ano em Roterdã, onde foi campeão e voltou ao número 1, mas não teve o cachê revelado

Foto: Arquivo

Boston (EUA) - Um gráfico elaborado pela Harvard Business School mostrou dados interessantes sobre o ATP 500 em Roterdã, entre eles o valor do cachê negociado com os jogadores. De acordo com notícia do Tennis World Itália, Federer pediu dois milhões de euros em 2017, apenas para disputar o torneio, valor que foi negado pelos organizadores.

Também houve a comparação dos valores pedidos na última década, demonstrando que ele subiu bastante. Novamente Federer foi usado como exemplo e foram comparados os cachês pedidos em 2007, 250 mil euros (recusados), em 2012, 850 mil euros (aceitos) até chegar em 2017 e seus 2 milhões de euros (recusados).

Outro exemplo foi o do espanhol Rafael Nadal, que pediu 200 mil em 2007 (recusado), 1,2 milhão de euros em 2017 (aceito, mas naquele ano ele não jogou por problemas físicos). Em média um jogador entre a oitava e a décima posição pediu/recebeu 200 mil euros e os entre a 11ª e a 20ª negociaram por volta dos 100 mil euros.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis