Notícias | Dia a dia | Roland Garros
Nadal: 'É justo dizer que a paralisação me ajudou'
07/06/2018 às 15h02

Chuva paralisou duas vezes o jogo de Nadal

Foto: Divulgação

Paris (França) - A partida entre o espanhol Rafael Nadal e o argentino Diego Schwartzman pode ser dividida em duas, foi uma antes da primeira paralisação por causa da chuva e outra nas duas vezes que os tenistas voltaram à quadra, a última delas nesta quinta-feira, quando o número 1 do mundo ratificou seu favoritismo e garantiu a vitória de virada e a vaga nas semifinais de Roland Garros.

O próprio Nadal admitiu que a pausa acabou sendo benéfica para o seu lado. "A chuva ajudou, pois parou a partida e me permitiu analisar o que estava acontecendo. Em termos de jogo, o que mudou foi que eu mudei a forma como encarar a partida. Hoje fui mais agressivo e mais intenso", afirmou o canhoto de Mallorca

"Ele estava jogando demais e eu estava na defensiva. Senti que eu não pressionava como de costume e por isso ele conseguiu tomar conta do ponto mais vezes. É justo dizer que a paralisação por chuva me ajudou, o que não é justo é dizer que as condições de hoje me ajudaram, pois eram as mesmas para ambos", acrescentou o líder do ranking.

Para o espanhol, a resposta que ele precisava dar contra Schwartzman estava dentro de si e foi lá que ele buscou a inspiração para conseguir a virada. "Nem sempre você pode colocar a culpa em fatores externos e por isso é importante olhar para dentro de si mesmo. A mudança no jogo não foi o sol ou a chuva e sim algo que estava dentro de mim", observou.

"Ontem não estava abrindo a quadra com meu revés e ficava demasiadamente atrás da linha de base, por isso eu deixava muitas vezes o controle do ponto para ele. Passei então a jogar com mais determinação e mais próximo da linha, o que mudou drasticamente o panorama do jogo", complementou o decacampeão no saibro parisiense.

Ao ser questionado sobre sentir ainda pressão depois de tantas glórias em Paris, ele garantiu que segue na mesma. "Se você não sente pressão é porque não ama o esporte e se você não gosta dele é melhor ficar em casa. A pressão faz parte e eu não a sinto apenas agora nas semifinais, mas sim todos os dias e a cada partida que disputo. Quando você consegue controlar tudo isso, é uma coisa até que positiva", disse Nadal.

Comentários