Notícias | Dia a dia | Roland Garros
'Não existe fórmula para o sucesso', diz Stephens
07/06/2018 às 19h26

Stephens alcançou sua segunda final de Slam em menos de um ano e debutará no top 5

Foto: Divulgação

Paris (França) - Classificada para sua segunda final de Grand Slam em menos de um ano e prestes a debutar no top 5 do ranking mundial, Sloane Stephens garante que não há fórmula para seu sucesso. Atual campeã do US Open e finalista de Roland Garros, a norte-americana de 25 anos teve um retorno às quadras espectacular, já que ficou onze meses parada por lesão e cirurgia no pé direito e chegou a cair para o 957º lugar do ranking em julho ro ano passado.

"Eu lentamente ganhei força. Não há fórmula. Não há certo ou errado. É um esporte individual, então você meio que tem que descobrir como você se dará a melhor chance. Foi assim que aconteceu para mim. Acho que uma vez que eu entro em um torneio, sou bem consistente e tento manter isso até o último jogo", afirmou Stephens nesta quinta-feira.

No sábado, a norte-americana desafia a líder do ranking mundial Simona Halep, contra quem tem duas vitórias e cinco derrotas. "Ela é a número 1 do mundo por uma razão", afirma a número 10 do mundo, que saltará para o quarto lugar do ranking. "É uma final de Grand Slam. Ninguém vai lhe entregar a partida. Você tem que entrar em quadra e ter certeza de disputar todos os pontos e tentar executar o seu plano de jogo da melhor forma possível".

Stephens também falou sobre a vitória por duplo 6/4 sobre a compatriota e amiga Madison Keys na semifinal em Paris. Ela segue sem perder nenhum set nos três duelos que fez diante de Keys, com destaque para a final do US Open do ano passado. As duas norte-americanas se conhecem há bastante tempo no circuito e são grandes amigas.

"Nunca é fácil jogar contra alguém do seu país, muito menos contra alguém com quem você realmente se importa e de quem você é amiga", admitiu a jogadora de 25 anos. "Somos sempre muito competitivas, mas é um pouco estranho. Não há tantos 'Come Ons' ou coisas assim, nós temos muito respeito uma pela outra. É um pouco diferente nesse aspecto, mas acho que sempre jogamos boas partidas"

Já a compatriota Keys lamentou a derrota, mas comemorou o bom desempenho na campanha até a terceira semifinal de Grand Slam da carreira. A norte-americana de 23 anos lembrou que não teve um bom começo na temporada de saibro e enalteceu a grande partida de sua adversária. "Estou obviamente muito desapontada por ter perdido hoje, mas acho que no geral foi um grande torneio para mim".

"Eu sinceramente não achava que, depois de perder na primeira rodada em Madri, eu estaria aqui como semifinalista Roland Garros. Estou orgulhosa por isso e também acho que a Sloane jogou incrivelmente bem hoje. Acho que foi um jogo muito melhor para mim do que a final do US Open, então são muitos pontos positivos que eu posso levar desse torneio", acrescentou Keys, que voltará ao top 10 na próxima segunda-feira.

Comentários
Faberg
Roland Garros Series