Notícias | Dia a dia
Djokovic não imaginava recuperação tão lenta
17/06/2018 às 19h19

Djokovic destaca o lado mental no retorno

Foto: Divulgação

Londres (Inglaterra) - Ex-número 1 do mundo e dono de 12 títulos de Grand Slam, o sérvio Novak Djokovic encarou uma dura lesão no cotovelo no ano passado, ficou de fora de toda a segunda metade de 2017 e voltou ao circuito nesta temporada meio cambaleante. Pouco a pouco ele parece encontrar o seu caminho e já tem feito algumas boas partidas nos últimos torneios.

O próprio 'Nole' reconhece que voltou abaixo de sua melhor forma e afirma que não esperava precisar de tanto tempo para reencontrar o ritmo. "Tive essa grande lesão que me tirou de quadra por seis meses e depois me forçou a passar por uma cirurgia. Quando você volta, enfrenta mais consequências mentais do que físicas", observou o sérvio.

"Nunca imaginei que levaria tanto tempo para conseguir voltar a um estado mental no qual eu me sentisse confortável e confiante de novo. Essa é uma experiência pela qual estou passando e tudo que posso fazer é abraçá-la", acrescentou o atual 22 do mundo, que nesta próxima semana estará em ação no ATP 500 de Queen's, estreando contra o quali australiano John Millman.

"Às vezes é frustrante não ser capaz de executar o que eu conseguia antes, mas esta é uma circunstância que deve mudar com o passar do tempo. Tenho trabalhado para me recuperar e voltar a jogar como no passado", avaliou o tenista de Belgrado.

Questionado sobre o que esperar do britânico Andy Murray, que fará em Queen's seu primeiro torneio em 11 meses, ele foi direto. "Ele está ausente por mais tempo do que eu estive e não sei como vai se sentir ou lidar com isso. Também não sei o quanto de dor ainda sente, mas volto a dizer que o principal obstáculo é o lado mental", disse o sérvio.

Comentários
Loja - livros
Mundo Tênis