Notícias | Dia a dia
Murray ainda avalia se poderá jogar em Wimbledon
19/06/2018 às 18h06

O britânico garante que irá analisar todas as possibilidades antes de tomar uma decisão

Foto: Divulgação

Londres (Inglaterra) - De volta às quadras depois de onze meses, Andy Murray ainda não sabe se terá condições de jogar em Wimbledon, que começa daqui a duas semanas. O ex-número 1 do mundo passou por uma cirurgia no quadril em janeiro e entende que ainda é preciso ver como seu corpo reage depois de ter disputado um jogo em alto nível nesta terça-feira.

"Eu preciso esperar, ver o que acontece nos próximos dias, e conversar com minha equipe sobre isso, porque eu não sei exatamente o que é melhor para mim agora", disse Murray após a derrota por 2/6, 7/6 (7-4) e 7/5 para Nick Kyrgios após 2h39 de partida pela primeira rodada do ATP 500 de Queen's.

Murray comentou sobre como os próximos dias serão determinantes para sua tomada de decisão. "A maneira como eu me sentir amanhã também é relevante, porque se eu acordar e não me sentir bem, então isso obviamente não é um bom sinal para quem quer jogar em melhor de cinco sets. Mas se eu estiver bem, aí sim é um bom sinal".

A resistência física e emocional para suportar uma partida tão longa foram pontos positivos na opinião do ex-número 1 e atual 156º do ranking. "No final do jogo de hoje, eu certamente estava cansado, mas não era como se eu estivesse completamente fora de forma e sentisse que eu não poderia me mexer mais".

"Se o jogo de hoje fosse em melhor de cinco, poderia ter durado mais uma hora e meia e seria difícil para mim. Então é algo que eu vou precisar avaliar nos próximos dias e falar um pouco com o meu time para ver onde eu vou a partir daqui", acrescenta o bicampeão de Wimbledon.

Perguntado sobre o planejamento para a próxima semana, que tem o ATP 250 de Eastbourne e algumas tradicionais exibições em Londres, Murray garante que irá analisar todas as possibilidades. "Não vou descartar nada agora. Não vou descartar nem a possibilidade de jogar em Eastbourne e depois não jogar em Wimbledon. Eu não descartaria a possibilidade de não jogar torneios na semana que vem ou de tentar fazer algumas exibições para me preparar para Wimbledon".

O fato de ter equilibrado as ações diante de Kyrgios, número 21 do mundo e semifinalista em Stuttgart na semana passada, anima o britânico. "Estou muito feliz por ter entrado em quadra de hoje e jogado. Foi um jogo equilibrado. Eu não tenho treinado tão pesado e estou feliz por ter feito um jogo competitivo e atuado respeitosamente".

Murray também falou sobre a emoção que sentiu ao longo de todo o dia que marcou seu retorno às quadras. "Eu estava muito nervoso pela manhã, porque eu realmente não sabia como eu iria jogar", reconheceu o veterano de 31 anos. "E também por jogar contra alguém como Nick, que é um adversário difícil e um bom jogador em quadra de grama. Então, você sabe, eu não sabia o quão bem estava, na verdade. Eu estava nervoso com isso".

"Eu fiquei bastante emotivo, na verdade, depois do meu treino de hoje, não sei exatamente por quê. Obviamente, eu estava obviamente ansioso para jogar uma partida. E havia muitos jogadores e fãs chegando e falando para mim 'É ótimo ver você de volta' e 'Não posso esperar para ver você jogar' e outras coisas. Isso foi legal. E sim, eu estava emotivo antes do jogo, mas quando começou eu estava bem", comenta o britânico, que não jogava desde a edição passada de Wimbledon.

Murray esteve perto da vitória no segundo set e chegou a salvar dois match points na parcial decisiva antes de ter o saque quebrado com uma dupla falta e admite que acabou deixando as emoções tomarem conta em momentos decisivos. "Houve momentos em que eu estava meio que pensando no final da partida, porque eu estava perto da linha de chegada. Talvez porque foi minha primeira partida em muito tempo e eu obviamente adoraria ter vencido. As emoções meio que atrapalharam um pouco o caminho. Mas foi uma boa experiência".

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis