Notícias | Dia a dia | Wimbledon
Azarenka defende mudar regra das cabeças de chave
02/07/2018 às 15h07

Azarenka não foi cabeça de chave quando voltou às quadras no ano passado

Foto: Divulgação

Londres (Inglaterra) - Diferente do que aconteceu este ano com Serena Williams, que foi designada como cabeça de chave 25 em Wimbledon, Victoria Azarenka não teve a condição de favorita nos torneios que disputou no ano passado depois de se tornar mãe. Até por isso, a ex-número 1 do mundo defende que as regras sobre as definição das cabeças de chave sejam discutidas e adaptadas para favorcer todas as mães do circuito.

"Eu não consegui no ano passado, ela conseguiu este ano. Isso uma exceção, não uma regra. É preciso ter uma regra", disse Azarenka, que aparece atualmente no 87º lugar do ranking. Este é o sétimo torneio que ela disputa na temporada e o nono desde o nascimento do filho Leo, em dezembro de 2016.

"É uma conversa importante que foi iniciada. Sinto que estamos caminhando na direção certa e sinto que nossas vozes, como um conselho de jogadoras, são ouvidas", acrescenta a bielorrussa de 28 anos, que era número 5 do mundo quando parou de jogar por conta da gravidez, há pouco mais de dois anos.

"Mas o principal é que as regras devem ser aplicadas para todas. Então, isso é uma coisa que ainda não chegamos à conclusão, mas estamos avançando", complementou a vencedora de dois títulos de Grand Slam.

Depois da vitória por 7/6 (7-4) e 6/3 sobre a russa Ekaterina Alexandrova na estreia em Wimbledon, Azarenka comemorou seu desempenho. Especialmente pelo fato de ter revertido o placar do primeiro set, em que a rival esteve duas vezes a um game da vitória.

"Estou muito orgulhosa de como consegui lidar com essa situação e manter a calma e manter o foco no que precisava fazer", explicou a bielorrussa. "Sem drama. Acho que isso foi muito bom para mim mentalmente".

A ex-líder do ranking deu um susto nos fãs ao sofrer duas quedas durante o jogo, uma ainda no set inicial e outra já no penúltimo game, e precisou de atendimento para o joelho direito. Isso a fez lembrar de um drama sofrido em 2013, quando desistiu do torneio antes de disputar a segunda rodada por ter machucado o joelho esquerdo no jogo de estreia.

"Bem, não foi agradável. E sofrer com isso duas vezes também não foi divertido. Isso trouxe algumas lembranças ruins ao mesmo tempo, flashbacks. Mas eu estou bem otimista. Estou pensando positivo", explicou a bielorrussa, que foi duas vezes semifinalista em Wimbledon.

Azarenka agora se prepara para um duelo de ex-líderes do ranking contra a oitava colocada tcheca Karolina Pliskova, contra quem tem três vitórias e duas derrotas. "As chaves nunca foram gentis comigo em toda a minha carreira", disse, sorrindo. "Eu realmente não esperava que isso mudasse agora. Mas, quem sabe, um dia?".

Comentários