Notícias | Dia a dia | Wimbledon
Para Martina, 9º título de Federer seria incrível
03/07/2018 às 10h32

Navratilova ganhou seu último Wimbledon aos 33

Foto: Arquivo

Londres (Inglaterra) - "Uau, ganhar um Grand Slam aos 36 anos é incrível, inacreditável, ridículo". É assim que reage Martina Navratilova, a maior campeã de Wimbledon da história, que levantou o último de seus nove troféus em Wimbledon quando tinha "apenas" 33 anos. Ela ainda atingiu uma final quatro anos depois.

"É maravilhoso o que Roger está fazendo aos 36 anos", afirma Navratilova. "Se conquistar mais um Wimbledon, teremos de tirar o chapéu para ele. Já é naturalmente difícil ganhar aqui, mas nesse idade, seria um absurdo".

Com uma extensa carreira de 20 anos, a tcheca naturalizada americana entende do assunto: "Sei bem o que é isso. Eu poderia ter vencido uma décima vez, mas conforme você envelhece isso vai ficando mais e mais difícil. Eu me sentia cada vez mais lenta, especialmente na recuperação para o jogo seguinte, então tinha de me concentrar muito". Navratilova perdeu a final de 1994 para Conchita Martinez.

A espetacular canhota, que detém os recordes de títulos de simples e duplas da Era Profissional, diz que existe também o lado mental. "Conforme a idade avança, vai ficando mais emocional vencer em Wimbledon. Você vai ver os trintões chorarem mais, porque significa mais. Percebe que seu tempo está acabando, tudo fica muito valioso. Claro que a pressão também é maior".

Para ela, o preparo físico que Federer mostra é uma verdadeira obra de arte. "Eu fui pioneira ao mudar a forma de treinar nos anos 1980, mas hoje existe muito mais ciência. Roger sabe exatamente o que fazer, o que precisa para se recuperar, que exercícios fazer a cada dia, o que vai comer. É uma arte. Quando criei minha 'equipe', tinha três pessoas me ajudando. Federer possui um exército trabalhando para ele".

Navratilova concordou com a decisão do suíço em saltar outra vez a temporada de saibro. "Seu foco está nos Grand Slam e no que realmente pode alcançar. Preparou-se para Wimbledon, como fez no ano passado e deu certo".

Comentários