Notícias | Dia a dia | Wimbledon
Nadal aprova nível e questiona regra de advertência
05/07/2018 às 15h09

Nadal foi advertido duas vezes durante a partida desta quinta-feira

Foto: Divulgação

Londres (Inglaterra) - Depois de vencer seu segundo jogo em Wimbledon, Rafael Nadal aprovou a atuação que teve nesta quinta-feira contra o cazaque Mikhail Kukushkin. Diante de um adversário que foi semifinalista na grama de Eastbourne há uma semana, o espanhol sente que teve um desempenho sólido e comemorou o fato de ter vencido em sets diretos.

"Foi um bom teste. Kukushkin joga bem na grama e hoje eu joguei melhor que na estreia", disse Nadal após a vitória por 6/4, 6/3 e 6/4 sobre o rival cazaque. "Sabia que seria um jogo difícil e entrei em quadra com muita vontade de vencer".

"Tive que reagir no terceiro set, mas estou feliz pela vitória sem perder sets e eu já estou ansioso para treinar amanhã e para preparar o meu próximo jogo", acrescenta o espanhol, que enfrenta na terceira rodada o jovem australiano de 19 anos Alex de Minaur. "Ele é um bom jogador, jovem e perigoso. Será um bom desafio para mim".

Entretanto, Nadal também teve que responder sobre as polêmicas advertências que recebeu do árbitro brasileiro Carlos Bernardes. A primeira aconteceu antes mesmo de o jogo começar, porque o espanhol não estava pronto para iniciar a disputa após o término do período de cinco minutos de aquecimento.

"Acho que é a primeira vez que eu vejo isso. Eu não sei. Mas sendo honesto, eu não vejo nenhum relógio aqui. Na Austrália e Roland Garros nós temos um relógio no fundo da quadra, mas aqui, não. É difícil saber como está essa contagem regressiva", justificou o líder do ranking mundial.

Outra advertência aconteceu antes da disputa do terceiro set, quando Nadal também excedeu o tempo no banco ao lado da quadra enquanto trocava de roupa. O veterano de 32 anos aceita a punição, mas questiona a regra, uma vez que não teria sido punido se tivesse saído de quadra no intervalo entre os sets e demorasse ainda mais tempo.

"É uma coisa normal. Eu ainda estava muito lento e sabia que tinha de tomar o camiseta, a munhequeira e tudo mais. Eu deveria ter feito isso no vesitário. Se eu tivesse saído de quadra, teria todo o tempo do mundo para me trocar sem receber uma punição. Decidi, no entanto, fazer no banco e fui muito lento e é por isso que eu aceito a advertência", explica o bicampeão do torneio.

Um incidente ocorrido durante o Rio Open de 2015, quando Bernardes não deixou que Nadal saísse de quadra para trocar o calção, causou um afastamento entre os dois. O experiente árbitro só seria visto em jogos do espanhol em janeiro do ano seguinte.

"Eu não tenho nenhum problema com ele. Não posso vetar um árbitro. Posso pedir, se possível, que outro árbitro esteja na cadeira. O que aconteceu há três anos foi que o árbitro me desrespeitou porque me fez trocar de calção na frente de todo mundo", comenta Nadal, que também se defendeu das acusações de que demora muito para sacar. "Eu respeito quando estou muito lento e aceito as advertências. Faço o meu melhor para ser mais rápido, mas às vezes não é o suficiente. Preciso do meu tempo para pensar sobre o que fazer no próximo ponto, apenas isso".

Comentários