Notícias | Dia a dia | Wimbledon
'É difícil não apostar em Serena', diz Murray
11/07/2018 às 13h36

Britânico lembra que a americana costuma crescer em jogos decisivos

Foto: Arquivo

Londres (Inglaterra) - Fora da edição 2018 de Wimbledon, já que ainda se recupera de cirurgia no quadril, Andy Murray tem atuado como comentarista na BBC nos últimos dois dias. Além de acreditar no bom momento de Novak Djokovic entre os homens, o bicampeão do Grand Slam britânico também acredita que a heptacampeã Serena Williams volte a conquistar o título.

"Seria difícil apostar contra ela, agora que ela já está tão longe no torneio", disse Murray. De fato, o histórico de Serena em fases decisivas em Grand Slam é excelente, já que ela venceu 23 de suas 29 finais, além de ter perdido apenas cinco das 39 semifinais que disputou. A ex-número 1 encara a alemã Julia Goerges nesta quinta-feira.

"Ela parece estar em ótima forma. Depois de Indian Wells e Miami, ela falou um pouco na época que talvez tivesse voltado um pouco cedo demais", avalia o britânico sobre os dois primeiros disputados pela norte-americana. "Ela então ficou mais um tempo afastada e fez um treinamento muito duro para se preparar para Roland Garros. Ela não foi muito longe lá, mas está jogando muito bem aqui.

Pensando no outro lado da chave, Murray destaca a experiência de Angelique Kerber para o duelo contra Jelena Ostapenko, mas não descarta a força da letã que também é uma campeã de Grand Slam. "Kerber e Serena são as mais experientes, mas precisamos prestar atenção em alguém como Ostapenko, porque ela ganhou Roland Garros no ano passado".

"Ela bate muito forte na bola do fundo de quadra. É verdade que ela teve alguns altos e baixos em termos de resultados, mas quando ela está jogando bem é muito difícil de ser vencida. Então será interessante ver como ela se sai contra o Kerber. Será uma boa partida", comenta o vencedor de três títulos de Grand Slam.

O ex-número 1 do mundo também teceu elogios a Kerber, que também já liderou o ranking mundial. Ele até avalia sobre as razões que levaram a canhota a alemã a ter tanta dificuldade de defender sua posição no ano passado. "Kerber é uma atleta brilhante e extremamente forte fisicamente. Para ela, o lado mental do jogo é ainda mais importante por causa da maneira como ela joga, porque ela não ganha muitos pontos de graça. Ela sabe que tem que trabalhar muito por cada ponto, mas agora ela parece estar de volta ao nível onde ela estava, focada no tênis e lutando por cada bola".

Comentários