Notícias | Dia a dia | Wimbledon
Anderson luta mais de 6h e decide Wimbledon
13/07/2018 às 15h47

Anderson vai para sua segunda final de Grand Slam

Foto: Divulgação

Londres (Inglaterra) - Depois de encarar 4h30 para bater o suíço Roger Federer nas quartas de final, o sul-africano Kevin Anderson encarou uma maratona ainda maior na semifinal desta sexta-feira contra o norte-americano John Isner. O jogo durou 6h36, teve duas viradas e só acabou depois 50 games disputados no 5º set, encerrado com o placar final de 7/6 (8-6), 6/7 (5-7), 6/7 (9-11), 6/4 e 26/24.

Para alcançar a decisão em Wimbledon, Anderson precisou de 10 tentativas, número inferior apenas ao do croata Marin Cilic, que depois de 11 participações chegou à final e ficou com o vice no ano passado. Seu oponente no domingo sairá do clássico entre o sérvio Novak Djokovic e o espanhol Rafael Nadal, que fecha a sexta na Quadra Central.

Segundo sul-africano na história a disputar mais de uma final de Grand Slam, Anderson é o primeiro de seu país a decidir Wimbledon desde Brian Norton em 1921. O tenista da África do Sul que mais vezes chegou a uma final nos quatro principais torneios do circuito foi Eric Sturgess, que conseguiu ir tão longe em três oportunidades, sendo campeão do US Open (1948) e vice de Roland Garros (1947 e 1951).

Conforme o esperado, a partida foi de poucas quebras e definida nos detalhes, com tiebreaks nos três primeiros sets. Anderson levou o primeiro, depois de ter perdido um set-point no décimo game, e Isner faturou o segundo, no qual teve que salvar um break-point importante no nono.

O primeiro break do jogo veio apenas na terceira parcial, com o norte-americano perdendo a sequência vitoriosa de 110 games seguidos com o saque. Anderson foi então servir em 5/3 para fechar, mas vacilou e perdeu o saque de volta. A definição foi novamente para o tiebreak e Isner acabou sendo recompensando, levou a melhor e virou o confronto.

Anderson não se abateu e seguiu firme no quarto set. Novamente ele anotou uma quebra e perdeu o saque em seguida, entre o quinto game e o sexto, só que desta vez o sul-africano teve mais um break-point concretizado, sacou em 5/4 e confirmou para deixar tudo igual mais uma vez.

Como nas quartas de final contra Federer, o sul-africano entrou no quinto e decisivo set sacando depois e por isso depois do 4/4, todas as vezes em que foi para o serviço estava pressionado para confirmar ou se despedir do torneio. Mas foram deles as principais chances na longa quinta parcial, que durou 50 games.

Todos os break-points no set foram favoráveis ao sul-africano. O primeiro veio quando Isner sacava em 7/7, o segundo aconteceu no 10/10 e chance mais favorável desperdiçada veio no 17/17, quando o norte-americano saiu de um 15-40, salvou os dois breaks com aces e sobreviveu. A definição veio no 49º game, quando Anderson viu o rival sair de 0-40 e salvar apenas uma das chances de quebra. Na sequência ele confirmou e acabou com a longa batalha.

Comentários