Notícias | Dia a dia | Wimbledon
Até Isner pede tiebreak no quinto set dos Slam
14/07/2018 às 12h41

Isner saiu esgotado do duelo de 6h36

Foto: Site oficial

Londres (Inglaterra) - Participante ativo dos dois jogos mais longos disputados em toda a história dos Grand Slam, o norte-americano John Isner defendeu a introdução imediata do tiebrek para o quinto set dos Slam, como o US Open adota desde 1970.

"Precisamos do tiebreak para proteger os próprios tenistas", afirmou o norte-americano, que em 2010 jogou por 11h05 contra Nicolás Mahut também em Wimbledon, num quinto set que foi a 70/68. "É preciso mudar urgentemente a regra e espero que a Federação Internacional analise isso". O finalista Kevin Anderson, que derrotou Isner por 6h36, também se manifestou a favor do tiebreak em todos os sets, algo que Australian Open e Roland Garros também não adotaram ainda.

Isner esteve bem perto de sua primeira final de Slam, aos 33 anos, e por isso não escondeu o abalo: "Estive muito perto de ir à final, estou muito triste com a derrota". Ele elogiou muito Kevin Anderson por seu empenho, mas acredita que o sul-africano terá poucas chances na final de domingo. "Ele é um dos mais profissionais do circuito e joga bem em qualquer piso. Mas não sei se terá físico contra Nadal ou Djokovic".

Muito desgastado, ele já abandonou o torneio de Newport, o último sobre grama que é disputado em nível ATP, que começa nesta segunda-feira. "Necessito de alguns dias para me recuperar porque o cansaço físico que realizamos foi espetacular".

Comentários