Notícias | Dia a dia
Chinesas e jovens promessas se dão bem na WTA
30/07/2018 às 09h55

Com apenas 17 anos, Danilovic levou o WTA de Moscou

Foto: Divulgação

Miami (EUA) - Em mais uma semana sem grandes estrelas em ação pelo circuito feminino, as principais mudanças no ranking aconteceram para baixo do top 20, sendo a primeira delas a queda de uma colocação da espanhola Carla Suárez, que caiu do 26º posto para o 27º e fez com que a norte-americana Serena Williams recuperasse uma colocação a mais na lista da WTA. 

As chinesas finalistas no WTA e Nanchang se destacaram entre as top 100. Campeã dentro de casa, Qiang Wang deu um salto de 25 colocações e agora é a 53 do mundo, um pouco abaixo da melhor marca da carreia (44ª). Já a vice Saisai Zheng ganhou até mais terreno, subindo da 112ª posição para a volta ao top 100, no 85º posto. 

Um pouco mais embaixo, ainda fora das 100 melhores do mundo, quem brilhou foram Olga Danilovic e Anastasia Potapova, que com apenas 17 anos decidiram o título no WTA de Moscou e alcançaram suas melhores marcas no ranking. A sérvia ficou com o título e disparou 75 lugares, indo para a 112ª colocação, ao passo que a russa ganhou 69 postos e agora é a 135 do mundo.

Também conseguiram ascensões notáveis a polonesa Magda Linette, que foi às semifinais em Nanchang e com isso ganhou 18 lugares, pulando para a 62ª colocação, e a eslovena Tamara Zidansek, outra semifinalista da semana passada, só que em Moscou, numa campanha que lhe rendeu 16 lugares no ranking e a levou para a 74ª posição.

Única brasileira entre as 400 melhores do mundo, a paulista Beatriz Haddad Maia ganhou duas colocações mesmo sem jogar. Ainda se recuperando de cirurgia para a retirada de uma hérnia de disco nas costas, em maio, ela assumiu a 117ª posição na WTA e já tem retorno programado ao circuito, voltando no ITF US$ 100 mil de Vancouver.

Comentários
Loja TenisBrasil
Mundo Tênis