Notícias | Dia a dia | US Open
Canadense consegue ser lucky loser nos 4 Slam
25/08/2018 às 15h16

Peter Polansky foi lucky loser em todos os Grand Slam de 2018, algo inédito no circuito

Foto: Divulgação

Nova York (EUA) - O canadense Peter Polansky conseguiu uma improvável façanha que colocou seu nome na história do tênis. O jogador de 30 anos e número 120 do mundo conseguiu entrar como lucky loser nos quatro Grand Slam de 2018, feito inédito no circuito profissional.

Lucky losers são jogadores que perderam na rodada final do qualificatório, mas que herdam vagas na chave principal por conta de desistências de um ou mais jogadoras depois que o sorteio já foi realizado.

Nenhum jogador havia conseguido entrar como lucky loser em três Grand Slam seguidos, ou em três no mesmo ano, mas Polansky teve sorte na Austrália, em Roland Garros, em Wimbledon e também também no US Open. Ele tenta agora vencer um jogo em chave principal de Grand Slam pela primeira vez no ano.

O canadense perdeu na rodada final do quali em Melbourne para o indiano Yuki Bhambri e conseguiu enfrentar o russo Karen Khachanov na chave principal. No saibro de Paris, perdeu no quali para o eslovaco Jozef Kovalik e acabou enfrentando o anfitrião Pierre-Hugues Herbert alguns dias depois. Já na grama londrina, caiu para o australiano Jason Kubler e depois enfrentou o austríaco Dennis Novak.

Em Nova York, Polansky perdeu na rodada final do quali para o norte-americano Donald Young por 7/5, 1/6 e 6/3. Porém, duas horas depois da derrota sofrida na última sexta-feira, o canadense recebeu a notícia de que mais uma vez ganharia uma nova chance e enfrentará o alemão Alexander Zverev, número 4 do mundo, na primeira rodada da chave principal.

O melhor ranking da carreira de Polansky foi o 110º lugar, alcançado em junho deste ano. O canadense tem 19 vitórias em nível ATP na carreira e apenas uma em Grand Slam, conquistada ainda em 2010, também no US Open. Nos torneios de nível challenger, conquistou três títulos.

Comentários
Faberg
Roland Garros Series