Notícias | Dia a dia | US Open
Federer vê quadras mais lentas e umidade excessiva
29/08/2018 às 09h28

Federer falou que europeus não estão acostumados a jogar com esse tipo de umidade que tem feito em NY

Foto: Darren Carroll/USTA

Nova York (EUA) - O suíço Roger Federer não teve muito trabalho para superar seu primeiro obstáculo no US Open, gastando 1h50 para derrubar o japonês Yoshihito Nishioka por 3 sets a 0. Depois de garantir vaga na segunda rodada do torneio, ele fez uma breve análise sobre a partida e as condições de jogo encontradas, lamentou a umidade excessiva e disse que as quadras estão mais lentas do que antes.

“Sinto que as quadras estão um pouco mais lentas do que o normal e possivelmente o Arthur Ashe seja a que está mais rápida. É difícil dizer que isso seja de todo o mal, mas acredito que isso favorece os tenistas que têm um ranking melhor”, observou o número 2 do mundo, que também comentou sobre as condições climáticas que encarou na estreia.

“Nós europeus não estamos acostumados a jogar com esse tipo de umidade, é muito difícil e acabamos correndo o risco de sofrem algum mal-estar ou até um desmaio. Estou feliz por ter sobrevivido a isso”, disse Federer, que terá pela frente na segunda rodada o francês Benoit Paire, contra quem já jogou seis vezes e venceu todas, perdendo apenas um set para o rival.

Sobre seu primeiro desafio em Flushing Meadows, o suíço se mostrou contente com o que apresentou. “Felizmente eu não estava muito nervoso esta noite e isso influenciou o meu jogo, me senti bem desde o começo e vinha de uma boa semana de preparação. No final do dia, você não ganha apenas com o nome e precisa trabalhar duro em quadra para ficar com a vitória. Com esforço normalmente se consegue alcançar as coisas”, comentou o tenista da Basileia

“Foi uma partida um pouco complicada, pois enfrentava um tenista canhoto, mas já estive em situações assim, principalmente quando enfrento Rafa. Sei o que os canhotos são capazes de fazer e estava preparado para isso. É muito bom ter jogado lá na primeira rodada contra um tenista como Nishioka, que normalmente mostra um bom nível. Acho que o público sai feliz per ter visto uma grande partida”, acrescentou Federer

Outro assunto que entrou na pauta do suíço foi sua raquete toda preta, que segundo ele é exatamente a mesma que vinha jogando (preta com detalhes brancos), apenas mudando o desenho. “Essa raquete preta é igual à que usava antes, apenas achei que ela era esteticamente melhor para o US Open. Também tenho uma novidade programada para a Laver Cup, mas vocês terão que esperar até lá para ver”, finalizou.

Comentários