Notícias | Dia a dia | US Open
US Open avalia conduta de árbitro com Kyrgios
30/08/2018 às 20h34

Kyrgios teve uma longa conversa com o árbitro durante o jogo

Foto: Divulgação

Nova York (EUA) - A polêmica conversa entre Nick Kyrgios e o árbitro de cadeira Mohamed Lahyani durante o segundo set da vitória do australiano por 4/6, 7/6 (8-6), 6/3 e 6/0 sobre o francês Pierre-Hugues Herbert será avaliada pela organização do US Open. Árbitros não são autorizados a dar conselhos ou incentivar jogadores para manter uma postura neutra em quadra.

Lahyani desceu da cadeira quando o Kyrgios perdia por 3/0 e teve uma longa conversa com o jogador de 23 anos, que parecia mal fisicamente e desmotivado a continuar na partida. Depois de conversar com o experiente árbitro e de receber o tratamento do fisioterapeuta, Kyrgios começou a jogar melhor e virou o jogo.

A Associação de Tênis dos Estados Unidos (USTA) divulgou um comunicado nesta quinta-feira apresentando sua versão dos fatos. "Depois do terceiro game do segundo set, o árbitro de cadeira Mohamed Lahyani saiu da cadeira para checar a condição de Nick Kyrgios. Ele saiu da cadeira por conta do barulho no estádio durante a virada de lado para ter certeza de que ele poderia se comunicar efetivamente com o jogador".

"Lahyani estava preocupado que Kyrgios pudesse precisar de atenção médica, e disse a Kyrgios que se ele estivesse se sentindo mal, o torneio poderia fornecer ajuda médica", segue a nota oficial. "O ábitro também informou a Kyrgios que se sua aparente falta de interesse na partida continuasse, ele precisaria agir. E novamente sugeriu a Kyrgios que recebesse atenção médica". O comunicado também cita que, dois games mais tarde, Kyrgios recebeu tratamento do fisioterapeuta.

Depois da partida, Kyrgios seguiu o mesmo tom. "Ele estava preocupado com a maneira como eu estava jogando. Foi algo do tipo. 'Nick, está tudo bem com você?'. E eu dizia: 'Está ok. Eu só não estava me sentindo muito bem'", explica o australiano, que enfrentará Roger Federer na terceira rodada.

Para Herbert, a conversa foi determinante no andamento da partida. "Nunca se sabe o que poderia ter acontecido se ele [Lahyani] não descesse da cadeira e começasse a conversar com ele", disse à Sports Illustrated. "Ele não precisaria descer e nem dizer as palavras que disse. Não acho que seja o trabalho dele. Ele é um árbitro, não um técnico".

Reportagem do jornalista Ben Rothenberg, do New York Times, captou trechos da conversa entre Lahyani e Kyrgios. "Eu vi os seus jogos, e sei que este não é você. Estou querendo te ajudar". 

Mesmo já tendo se posicionado oficialmente, a A USTA esclarece que a conduta de Lahyani ainda será avaliada pelo diretor do torneio e pela direção de arbitragem.

Comentários