Notícias | Dia a dia
Argentino é suspenso 5 anos por manipular jogo
03/09/2018 às 18h12

Argentino de 29 anos pode reduzir dois anos da pena

Foto: Arquivo

Londres (Inglaterra) - Pouco mais de um mês depois de decretar a suspensão preventiva ao argentino Patricio Heras, a Tennis Integrity Unit (TIU) divulgou nesta segunda-feira a sentença do caso. O jogador de 29 anos e 307º do ranking ficará afastado das quadras por cinco anos e multado em US$ 25 mil.

Heras foi considerado culpado por manipular o resultado de uma partida válida pelo challenger de Barranquilla, na Colômbia em setembro de 2015. Ele também não relatou à TIU sobre as abordagens corruptas feitas a ele entre agosto e setembro do mesmo ano.

Comprometido a não cometer novas violações do Programa Anti-corrupção do Tênis, o argentino pode reduzir dois anos dessa pena. A audiência disciplinar no caso ocorreu em Londres, no 6 de abril de 2018, e foi julgada pela auditora independente Jane Mulcahy. A punição passa a valer a partir de 27 de julho deste ano, data de início da suspensão preventiva. O jogador não poderá competir ou comparecer a qualquer competição oficial, organizada pelas entidades que governam o circuito.

Heras está com 29 anos e o melhor ranking de sua carreira foi o 269º lugar, alcançado em setembro de 2013. O argentino jamais disputou uma partida de nível ATP e tem apenas treze vitórias pelo circuito challenger na carreira, duas delas este ano. Já nos torneios de nível future, conquistou treze títulos e disputou 27 finais.

Outros casos - A suspensão a Heras é a terceira envolvendo um argentino desde maio. Entre os meses de maio e junho Nicolas Kicker e Federico Coria também foram envolvidos pela TIU por envolvimento com apostadores. O caso de Heras se parece com o de Kicker, que era top 100 quando foi considerado culpado por manipular resultados em partidas válidas pelos challengers de Barranquilla e Padova em 2015 e recebeu uma punição exemplar e não joga até 2021.

Por sua vez, Federico Coria ficará afastado das quadras por até oito meses e multado em US$ 10 mil por não relatar uma proposta feita a ele em julho de 2015 em um future italiano na cidade de Sassuolo. No mês seguinte, ele recebeu outra proposta para perder um determinado número de jogos durante a temporada. Ainda que não tenha aceitado nenhuma vantagem financeira ou manipulado resultados, a não comunicação das tentativas de suborno constitui uma violação às regras da TIU. Ele pode diminuir pena para dois meses caso não cometa novas infrações.

Comentários
Loja TenisBrasil
Mundo Tênis