Notícias | Dia a dia | US Open
Djokovic compara estádio principal a uma sauna
06/09/2018 às 13h55

"É como jogar em uma sauna, não sentimos o ar aqui embaixo porque não há circulação", reclamou o sérvio

Foto: Andrew Ong/USTA

Nova York (EUA) - O calor e a umidade em Nova York não estão sendo os únicos vilões que têm atrapalhado os jogadores neste ano no US Open. Para o sérvio Novak Djokovic, que na noite desta quarta-feira garantiu sua vaga nas semifinais do torneio ao bater o australiano John Millman, responsável pela eliminação do suíço Roger Federer na rodada anterior, um dos problemas é a circulação de ar no Arthur Ashe Stadium.

“Nunca havia suado tanto como aqui neste ano, estou levando 10 camisetas para trocar durante o jogo. Acho que a organização deveria se dar conta disso. É como jogar em uma sauna, não sentimos o ar aqui embaixo porque não há circulação”, disparou o ex-número 1 do mundo, que apesar da vitória até que tranquila sobre Millman, tratou de enaltecer o rival.

“Tenho grande respeito por ele e pela abordagem que teve tanto contra Roger como contra mim hoje. Mostrou respeito, mas sem se amedrontar e resolveu sair para jogar. Não veio para satisfazer a multidão e fazer um jogo bonito, veio para tentar ganhar. Precisei correr e ele me fez ter que ir atrás da vitória, não entregou facilmente os pontos”, comentou o sérvio.

Para Djokovic, o adversário australiano merece todo o crédito pela maneira como encarou as partidas contra ele e também contra Federer. “Ele entrou em quadra e tentar fazer um jogo que lhe pudesse dar a vitória. É um grande lutador, um cara que faz um pouco de tudo e que provavelmente teve o torneio de sua vida e o jogo de sua vida contra Roger”, afirmou o tenista de Belgrado.

Na semifinal, ‘Nole’ terá pela frente o japonês Kei Nishikori, contra quem jogou 16 vezes e venceu 14, mas perdeu uma justamente em uma semi de US Open. “Ele tem um dos melhores backhands de duas mãos do circuito, talvez o mais rápido ou um dos mais rápidos. Além disso seu jogo de pés é incrível. já nos enfrentamos várias vezes e perdi aqui para ele na semi de 2014, em um dos jogos mais importantes que tivemos”, finalizou.

Comentários