Notícias | Dia a dia | US Open
Serena volta à final e fica mais perto do recorde
06/09/2018 às 21h29

Serena está a uma vitória do 24º título de Grand Slam para igualar o recorde de Margaret Court

Foto: Divulgação

Nova York (EUA) - A busca de Serena Williams pelo 24º título de Grand Slam ganhará mais um capítulo no próximo sábado, quando a ex-número 1 do mundo disputará mais uma vez a final a final do US Open. Serena garantiu seu lugar na decisão depois de vencer a semifinal desta quinta-feira contra a letã Anastasija Sevastova, jogadora de 28 anos e 18ª do ranking, por 6/3 e 6/0 em apenas 1h05 de partida.

Recordista de títulos de Grand Slam na Era Aberta com 23 conquistas, Serena busca o 24º troféu para igualar a marca da australiana Margaret Court, maior vencedora nos torneios Grand Slam em todos os tempos, considerando também a fase amadora do esporte. Será a 31ª final de Slam na carreira de Serena, sendo a segunda consecutiva, já que ela foi vice-campeã na grama de Wimbledon em julho.

Vencedora de seis edições do US Open, Serena disputará sua nona final em Nova York e volta à decisão quatro anos depois de seu último título. Nos anos de 2015 e 2016, a norte-americana perdeu na semifinal. Já no ano passado, sua filha Alexis Olympia havia acabado de nascer, em 1º de setembro.

Os seis títulos de Serena em Nova York igualam a marca de Chris Evert entre as maiores vencedoras do Grand Slam norte-americano na Era Aberta, sendo que Evert venceu três edições no saibro. Em todos os tempos, as recordistas são Molla Bjurstedt Mallory com oito títulos e Helen Wills Moody com sete conquistas.

Depois de iniciar o Grand Slam americano na 26ª posição do ranking mundial, Serena já garantiu a volta ao top 20 com os 1.300 pontos obtidos. Ela sobe para o 16º lugar do ranking com a vaga na final e pode saltar à 11ª posição se for campeã e receber 2 mil pontos.

Serena também pode se tornar a quarta mãe a vencer um Grand Slam na Era Aberta, igulando-se à própria Court, além de Evonne Goolagong e Kim Clijsters. O US Open é apenas o sétimo torneio disputado pela norte-americana de 36 anos desde o nascimento de sua filha. A ex-número 1 se tornou a mais velha campeã de Grand Slam da história, quando conquistou o Australian Open de 2017 aos 35 anos e 125 dias. Ela também é a campeã mais velha do US Open, com o título de 2014 aos 32 anos e 330 dias.

A adversária de Serena na final do próximo sábado virá do confronto entre a norte-americana de 23 anos Madison Keys, 14ª do ranking, e a jovem japonesa de 20 anos e 18ª colocada Naomi Osaka. A ex-número 1 venceu os três duelos anteriores contra Keys e perdeu recentemente para Osaka em Miami.

A disputa com teto fechado no Arthur Ashe Stadium até favoreceu o saque de Serena, mas nos dois primeiros games a norte-americana teve o saque mais rápido na casa de 175km/h e viu Sevastova colocar 92% das devoluções em quadra. A letã conseguiu uma quebra logo na abertura da partida e abriu 2/0 com um game de saque muito seguro logo na sequência.

Como de costume, Sevastova tentava mexer bastante a americana com suas frequentes variações de altura e velocidade de bola, dando muitos drop shots e slices. A tática até equilibrou a partida por alguns games, mas Serena logo assumiu o controle das ações. Mesmo sem ter encontrado ainda o tempo ideal para as devoluções, a ex-número 1 já conseguiu devolver a quebra num game muito longo e emendou com dois bons games de saque para liderar por 3/2. Embalada, a jogadora da casa voltaria a quebrar para chegar a vencer quatro games seguidos. E passado o susto com a quebra no game de abertura, Serena não perderia mais que dois pontos em cada um dos quatro games de saque seguintes para vencer o primeiro set em 39 minutos.

O segundo set foi arrasador para Serena, que só perdeu cinco pontos em seus games de serviço e pressionou muito nas devoluções para vencer 14 pontos nos 21 possíveis no saque de sua adversária para conseguir mais três quebras. Destaque também para um ótimo desempenho nas subidas à rede. Serena terminou o jogo com 4 a 1 em aces e 30 a 10 em winners, além de ter cometido apenas 20 erros não-forçados. Junto à rede, venceu 24 pontos em 28 tentativas.

Comentários