Notícias | Dia a dia | US Open
Serena tem nova chance de vencer um Slam como mãe
07/09/2018 às 22h48

Serena pode ser a quarta mãe a vencer um Slam na Era Aberta

Foto: Divulgação
por Mário Sérgio Cruz

Menos de dois meses depois de perder a final de Wimbledon, Serena Williams terá mais uma chance de colocar seu nome em mais um seleto grupo de campeãs na história do tênis feminino. Caso vença a decisão do US Open diante da japonesa Naomi Osaka às 17h (de Brasília) deste sábado, a norte-americana pode se tornar a quarta mãe a vencer um Grand Slam durante a Era Aberta do tênis e a segunda em Nova York.

Em Nova York, Serena disputa apenas seu sétimo torneio desde o nascimento da filha Alexis Olympia, em setembro do ano passado. Uma eventual vitória também garantiria o 24º título de Grand Slam na carreira da norte-americana de 36 anos, que faria dela recordista ao lado de Margaret Court entre as maiores vencedoras de Grand Slam em todos os tempos, considerando as fases amadora e profissional do esporte.

Court, aliás, foi a primeira mulher a vencer um Grand Slam após se tornar mãe. Daniel, primeiro de seus quatro filhos, nasceu em fevereiro de 1972. A jogadora australiana voltaria às quadras no ano seguinte e conquistou os títulos do Australian Open, de Roland Garros e do US Open. Depois de uma nova pausa na carreira para o nascimento do segundo filho em 1974, Court ainda venceu mais dois títulos de WTA e encerrou a carreira profissional em 1977.

A também australiana Evonne Goolagong foi a segunda mãe a vencer um Grand Slam como tenista profissional. Dona de sete títulos de Slam, Goolagong já tinha cinco troféus quando sua filha Kelly nasceu em maio de 1977. No mesmo ano, ela voltou às quadras e venceu o Australian Open (então disputado em dezembro). Já em 1980, a australiana foi campeã de Wimbledon, tornando-se a única mãe a vencer o Slam britânico na Era Aberta e também a primeira desde Dorothea Chambers em 1914.

Já a campeã mais recente foi a belga Kim Clijsters, que comemorou o nascimento da filha Jada em fevereiro de 2008. Convidada para o US Open do ano seguinte, a ex-número 1 do mundo conquistou o título logo em seu terceiro torneio desde o retorno às quadras. A belga ainda repetiria a conquista em 2010 e também foi campeã do Australian Open de 2011, chegando a ocupar a liderança do ranking pela última vez entre os dias 14 e 20 de fevereiro daquele ano. Sua despedida das quadras aconteceria em 2012 e a belga teve mais dois filhos, Jack Leon nasceu em outubro de 2013 e Blake Richard veio ao mundo em outubro de 2016.

Comentários
Faberg
Roland Garros Series