Notícias | Dia a dia | US Open
Direção do US Open apoia decisão do juiz de cadeira
09/09/2018 às 10h55

Nova York (EUA) - A discussão entre o juiz de cadeira da final feminina do US Open deste sábado, o português Carlos Ramos, com a norte-americana Serena Williams acabou roubando a cena da partida. Tudo começou com uma advertência de coaching dada pelo juiz no quinto ponto do segundo game do segundo set.

Serena não gostou da decisão, ser irritou ao sentir-se acusada de trapaceira. Mais tarde ela quebrou uma raquete e foi penalizada com a perda de um ponto. Por fim, a atleta da casa ofendeu o árbitro e acabou perdendo um game inteiro. No fim da partida, que terminou a com a vitória da jovem japonesa Naomi Osaka, a direção do torneio se pronunciou e defendeu a atitude de Ramos.

Depois de explicar ponto por ponto as decisões do juiz, a organização destacou o posicionamento de Ramos. “As decisões do juiz de cadeira são finais e não podem ser revistas pelo Diretor do Torneio nem pelo Supervisor dos Grand Slam, que foram chamados à quadra”, explicou o comunicado do US Open.

Comentários