Notícias | Dia a dia | US Open
Depois de 15 meses, Djokovic retorna ao top 3
09/09/2018 às 20h47

Djokovic pode entrar na briga pelo número 1 contra Nadal a partir do Masters 1000 de Xangai

Foto: Arquivo

José Nilton Dalcim

O sérvio Novak Djokovic reaparecerá entre os três melhores tenistas do ranking na lista desta segunda-feira como consequência de seu tricampeonato no US Open, obtido na noite deste domingo em cima do argentino Juan Martin del Potro.

Com os 2.000 pontos somados em Nova York, ele atinge o total de 6.445 na soma das últimas 52 semanas e ultrapassa de uma vez só o próprio Del Potro, que terá 5.980, e o alemão Alexander Zverev, com 4.890.

Dentro de um mês, Djokovic terá oportunidade de brigar pelo segundo posto com o suíço Roger Federer, que no momento está com 6.900 mas terá de defender os 1.000 pelo título no Masters 1000 chinês. Como estava ausente do circuito no período, o sérvio somará tudo o que fizer.

Djokovic deixou o número 2 do ranking em 12 de junho do ano passado, caindo então para o quarto lugar. Com o afastamento por contusão no cotovelo após Wimbledon, perdeu seu posto no top 10 na lista de 6 de novembro, parando então no 12º.

Voltou com pouca eficiência em janeiro deste ano, sofreu derrotas duras e se viu rebaixado para a 22ª posição por quatro semanas, entre maio e junho. Com o título em Wimbledon, voltou ao top 10 de um salto só e a conquista do Masters de Cincinnati fez com que entrasse no US Open no 6º lugar.

Ao observarmos o ranking da temporada - aquele que soma os pontos desde janeiro -, fica claro que o sérvio tem chance real de brigar diretamente com Rafael Nadal pelo primeiro posto a partir de Xangai. O canhoto espanhol tem 7.480 pontos e lidera com margem de 1.035. Del Potro, com 4.910, e Federer, com 4.800, ficaram distante da briga.

Comentários