Notícias | Dia a dia
ITF confirma pena de 9 meses para Igor Marcondes
12/09/2018 às 14h14

Marcondes ficará suspenso até 7 de dezembro

Foto: Arquivo

Londres (Inglaterra) - Atual 729º nas duplas e 835º em simples, o paulista de 21 anos Igor Marcondes foi punido pela ITF por falhar no antidoping. Em comunicado divulgado nesta quarta-feira, a entidade que comanda o tênis mundial revelou uma violação do brasileiro, em teste realizado no dia 8 de março de 2018, e lhe impôs uma pena de nove peses.

“O Sr. Marcondes forneceu uma amostra de urina em 8 de março de 2018, durante sua participação no ITF de Loulé, realizado em Portugal. Essa amostra foi enviada ao laboratório acreditado pela Agência Mundial Antidoping (Wada) para análise em Montréal e foi encontrada a substância hidroclorotiazida que é proibida pelo Programa Antidoping”, disse o comunicado.

A hidroclorotiazida está enquadrada na categoria de diuréticos e agentes de mascaramento, é a mesma que foi responsável pela punição ao paulista Thomaz Bellucci, flagrado em julho de 2017, durante o torneio de Bastad, na Suécia. O canhoto de Tietê acabou pegando uma pena de cinco meses, ficando de fora do circuito entre agosto de 2017 e fevereiro de 2018.

Marcondes não contestou o exame e prontamente aceitou a pena que lhe foi aplicada. O programa de combate ao doping prevê que a data de início do período de inelegibilidade seja retroativa, devido à pronta admissão e por isso o início da suspensão será retroativo à data de colheita da amostra (8 de março), terminando à meia-noite de 7 de dezembro de 2018.

"Dizer que estou feliz diante da situação não é a palavra correta uma vez que perdi praticamente uma temporada inteira e fiquei muito prejudicado principlamente quanto ao meu ranking que irá a quase zero e a oportunidade de crescimento que poderia ter nessa minha temporada que vinha sendo de transição no circuito", disse Igor Marcondes, por meio de comunicado. "De qualquer forma saio aliviado que a ITF tenha entendido que não tive culpa na ingestação da substância e que finalmente tenha tido essa boa notícia eu posso voltar a jogar dentro de poucas semanas".

"Já vinha me preparando há várias semanas e estava ansioso pelas notícias positivas que saíram e agora é treinar ainda mais forte para retornar com tudo assim que for liberado para buscar retomar e ter resultados ainda melhores que vinha tendo. Certamente essa situação vai me tornar mais forte mentalmente para encarar o circuito profissional", complementa o jovem jogador de 21 anos.

De acordo com o advogado Bruno Vasconcellos, representante do atleta, Marcondes apresentou defesa negando qualquer intenção deliberada de consumo de substância dopante voltada a melhorar sua performance em quadra, disponibilizando os comprimidos de suplemento alimentar receitados por seu médico pessoal, além de declarar o consumo do medicamento no formulário de controle de doping.

Mediante acordo dos advogados da ITF e do atleta, o procedimento investigatório foi suspenso e os suplementos foram enviados ao laboratório INRS – Université D´Avant-Garde, localizado em Montreal, no Canadá. Em 25 de junho de 2018, o laboratório apresentou o resultado confirmando a presença da substância nos suplementos, bem como a verificação de que os suplementos não respeitavam sequer a composição prescrita pelo médico especialista do tenista.

Após a conclusão dos trabalhos, a ITF reconheceu a ausência de intenção do tenista na utilização de eventual substância dopante, até porque o laudo do reconhecido laboratório informou que o erro de manipulação acabava por diminuir a sua pressão sanguínea, e por consequência, sua performance. A suspensão de nove meses foi imposta por conta da negligência na escolha do laboratório de manipulação, o que foi aceito pelo atleta e sua defesa. Foi solicitado ainda que o atleta que encaminhasse o resultado do exame para a farmácia de manipulação para apresentação de esclarecimentos. A empresa, entretanto, não se manifestou oficialmente.

Comentários
Loja - livros
Mundo Tênis