Notícias | Dia a dia
Masters chinês vê briga trípice por vice-liderança
08/10/2018 às 17h17

Djokovic não defende ponto algum até o fim do ano

Foto: Arquivo

Miami (EUA) - O ranking da ATP passou mais uma sem grandes mudanças em todo o top 10, com apenas o sul-africano Kevin Anderson assumindo a oitava colocação e derrubando o búlgaro Grigor Dimitrov para o nono posto. Contudo, a disputa do Masters 1000 de Xangai abrirá a porta para que o sérvio Novak Djokovic entre de vez na briga pela liderança.

Atual número 3 do mundo, ele começa a semana como o virtual segundo colocado na lista da ATP, já que o suíço Roger Federer terá que repetir 1.000 pontos do título em solo chinês, ao passo que o sérvio não tem nada a defender. Além disso, o espanhol Rafael Nadal não irá jogar e fatalmente perderá 600 pontos pelo vice do ano passado.

Tudo isso deixará ‘Nole’ a no mínimo 1.205 pontos da liderança, podendo grudar de vez em Nadal caso mantenha o embalo e a boa forma e conquiste o título, reduzindo a distância em 1.000 pontos.

A briga pelo número 2 é o primeiro capítulo da reta final de temporada. Federer só não perderá o segundo posto se for vice-campeão e Djokovic não passar da estreia, ou se for campeão e contar com uma queda do sérvio no máximo na terceira rodada.

Além disso, o suíço tem de se preocupar com o argentino Juan Martin del Potro, que corre por fora na briga pela vice-liderança. O argentino no entanto precisa do título em Xangai para ir a 6.770 pontos e contar que Djokovic não passe das quartas.

Veja como está a briga entre os três:
Federer - Tem 6.900 pontos e só poderá repetir esse total
Djokovic - Tem 6.455 e irá superar Federer caso atinja a final (7.055). Suíço só fica à frente se for campeão ou se for vice e sérvio perder na estreia.
Del Potro - Tem 5.780 e pode ir 6.770 com o título, mas ainda assim precisa que Djoko não passe das quartas (6.635).

Comentários
Loja TenisBrasil
Mundo Tênis