Notícias | Dia a dia
Stephens busca a virada e chega invicta à final
27/10/2018 às 10h49

Stephens fará um duelo de invictas contra Svitolina na manhã de domingo

Foto: Divulgação

Cingapura (Cingapura) - Depois de um começo de partida muito difícil, Sloane Stephens conseguiu buscar a virada para garantir vaga na decisão do WTA Finals, em Cingapura. A norte-americana levou um 'pneu' de Karolina Pliskova no set inicial e chegou a perder oito games seguidos, mas conseguiu a reação diante da tcheca e venceu por 0/6, 6/4 e 6/1 em 1h55 de partida.

Stephens chega invicta à decisão do Finals. Ela liderou o Grupo Vermelho da competição com três vitórias sobre Naomi Osaka, Kiki Bertens e Angelique Kerber. Sua adversária na final marcada para às 8h30 (de Brasília) deste domingo será a ucraniana Elina Svitolina, outra jogadora invicta, que superou Petra Kvitova, Wozniacki e a própria Pliskova na fase de grupos e a já citada Bertens neste sábado.

O histórico entre Stephens e Svitolina é favorável à norte-americana, que venceu dois dos três duelos anteriores, incluindo um recente encontro na semifinal de Montréal. Disputado desde 1972 e com seu atual formato desde 2003, o WTA Finals terá uma campeã invicta apenas pela oitava vez. Três desses títulos pertencem a Serena Williams, nos anos de 2009, 2012 e 2013. Além de Serena, sua irmã Venus Williams conseguiu a façanha em 2008, Petra Kvitova o fez em 2011, além das belgas Kim Clijsters e Justine Henin em 2003 e 2007.

Vencedora de seis títulos na carreira, com destaque para o US Open do ano passado, Stephens conquistou apenas um troféu na atual temporada. A norte-americana de 25 anos e número 6 do mundo foi campeã no piso duro de Miami em março. Também em 2018, ela foi finalista no Canadá e também em Roland Garros.

O set inicial foi amplamente dominado por Pliskova. Mesmo sem fazer um ace sequer e colocando apenas 52% de primeiros serviços em quadra, a tcheca só enfrentou um break point. Mais agressiva na partida, a ex-número 1 do mundo mandava nos pontos e pressionou nas devoluções para vencer 14 dos 22 pontos jogados no saque da adversária e conquistar três quebras. Pliskova liderou nos winners por 9 a 4, além de cometer só sete erros contra onze da rival.

A vantagem de Pliskova ficou ainda maior no começo do segundo set, com uma quebra ainda no início e a liderança por 2/0, mas Stephens conseguiu devolver a quebra de imediato e ainda salvar um break point antes de confirmar o serviço pela primeira vez na partida. Logo na sequência, a tcheca perdeu o saque de zero e permitiu que a norte-americana vencesse seu terceiro game seguido. Houve ainda mais uma troca de quebras antes do término do set. A diferença no número de winners foi mínima, 7 a 6 para Pliskova, mas a tcheca cometeu 21 erros não-forçados diante de 16 da norte-americana.

O saque deixou Pliskova na mão no último set, quando ela já dava claros sinais de desgaste. Com apenas 48% de primeiros serviços em quadra e vencendo somente dois pontos em 14 disputados com o segundo serviço, a tcheca não conseguiu confirmar o saque nenhuma vez. Stephens buscou quatro quebras, já que chegou a perder um game de saque, e sacramentou a virada. Pliskova liderou a estatística de winners do jogo por 21 a 18, mas fez 40 erros não-forçados contra 31 de Stephens.

Comentários
Loja TenisBrasil
Mundo Tênis