Notícias | Dia a dia
Fritz: 'Deveriam nos deixar quebrar raquetes'
26/12/2022 às 15h27

Diriyah (Arábia Saudita) – Campeão do Masters 1000 de Indian Wells na temporada 2022 e atual número 9 do mundo, o norte-americano Taylor Fritz deu relatos interessantes para o portal argentino ClayTenis. Em um dos pontos mais curiosos da entrevista feita durante a exibição de Diriyah, Fritz opinou sobre as punições impostas aos jogadores que quebram raquetes em quadra.

"Acredito que os jovens gostam de pessoas com personalidade, que têm uma certa loucura, mas tem que colocar alguns limites. Você não pode colocar ninguém em perigo, jogando uma bola na arquibancada ou lançando uma raquete que pode atingir alguém. Fora isso, não vejo nenhum problema em desabafar quebrando as raquetes. As pessoas adoram ver essas coisas, e é por isso que os jogos de Kyrgios estão sempre lotados”, explica.

Ainda segundo ele, o tênis precisa atrair torcedores mais jovens. "Sei que existem fãs ferrenhos e puristas que ficarão chocados com essa reflexão, e respeito, mas com certeza o tênis precisa rejuvenescer seu público. O que atrai as pessoas da minha idade é o drama. Sempre que há algum conflito, as pessoas ficam muito mais animadas durante o jogo."

Homossexualidade no tênis
Outro tema abordado na conversa foi a homossexualidade masculina na modalidade. Questionado sobre o assunto, Fritz defendeu que atletas gays tenham seu espaço normalmente. “Não tenho certeza se existem tenistas homossexuais no top 100, mas é estranho [que nenhum jogador top tenha se declarado gay), porque acho que seria aceito. Ninguém no circuito teria problemas com isso. Obviamente, isso seria uma grande notícia e talvez as pessoas simplesmente não queiram estar no centro das atenções”, opina o jogador de 25 anos.

O ego dos tenistas
Em um esporte individual, a confiança é um elemento fundamental para qualquer atleta. Mas, na visão de Fritz, alguns jogadores acabam se deixando levar pelo excesso de egocentrismo.

"Sou uma pessoa bastante confiante. Para ser bom no que você faz, é preciso ter muita confiança em si mesmo e um pouco de ego para acreditar que pode ser o melhor. Cada um lida de uma forma diferente com isso. Não vou citar nomes, mas alguns jogadores têm um ego muito grande e outros que talvez não tenham confiança suficiente em suas habilidades. É importante manter um equilíbrio para não perder a cabeça e com tudo o que te rodeia", diz.

Comentários