Notícias | Dia a dia | ATP Finals
Djokovic: 'Temporada é a mais longa dos esportes'
14/11/2018 às 17h08

Sérvio comentou sobre a Nova Davis e a Copa do Mundo da ATP

Foto: Divulgação

Londres (Inglaterra) - Número 1 do presidente do Conselho dos Jogadores da ATP, Novak Djokovic comentou sobre as mudanças no calendário do circuito previstas para os próximos anos. O sérvio fala especificamente sobre o cenário que envolve o novo formato da Copa Davis e a criação da Copa do Mundo da ATP, que seriam disputadas em novembro de 2019 e janeiro de 2020. Para Djokovic, a existência de dois eventos similares é negativa para o esporte.

"Obviamente, a situação da Copa Davis e da Copa do Mundo da ATP é delicada. Temos a temporada mais longa em todos os esportes e estamos apenas adicionando eventos. Nós temos que tentar nos concentrar na qualidade e não na quantidade", disse Djokovic após seu segundo jogo pelo ATP Finals nesta quarta-feira.

"Acho que nos próximos dois anos nós vamos ter os dois eventos acontecendo em um formato muito similar, se não o mesmo, com seis semanas de intervalo. Se eu acho que isso é bom para o nosso esporte? Sinceramente, acho que não. Pode ser mais oportunidades de trabalho para os jogadores, mas acho que não seja sustentável. Acontecerá que teremos dois eventos parecidos. Acho que criar um evento único é um cenário ideal para todos", acrescenta o sérvio.

A respeito da vitória por 6/4 e 6/1 sobre o número 5 do mundo Alexander Zverev, o líder do ranking reconhece que não jogou seu melhor tênis, apesar do bom resultado diante do jovem alemão de 21 anos. "Sascha não se sentiu muito bem, e eu também não tive um bom dia. Não foi um jogo de grande qualidade, para ser honesto".

"Infelizmente, hoje eu não poderia dar o meu 100% por causa do meu resfriado. Mas de alguma forma eu consegui reunir forças quando eu precisei. Acho que ganhar o primeiro set realmente conta muito, porque mentalmente você tem muita vantagem", avalia o jogador de 31 anos, que marcou sua segunda vitória no Finals e está próximo de se classificar para a semifinal.

"Ele sacou muito bem no primeiro set. Estava muito difícil ler o saque dele e eu realmente achei até mais difícil do que o primeiro jogo contra o Isner. No segundo set, foi um pouco mais fácil de ler, mas ele tem um ótimo saque", comentou o pentacampeão do torneio, que enfrentará Marin Cilic na sexta-feira. "Penso que joguei bem a partir do meio do segundo set. Comecei a bater melhor na bola. E ele obviamente cometeu muitos erros não-forçados que me permitiram vencer com mais facilidade do que o esperado".

Depois de superar o principal nome da nova geração do tênis masculino, Djokovic fez questão de enaltecer os jovens jogadores que estão surgindo no circuito e garante que o esporte seguirá em alto nível nos próximos anos. "Há muita qualidade nos jogadores da nova geração. Não devemos ser tão duros com eles. O futuro do jogo está em boas mãos".

Outro assunto abordado pelo sérvio foi o anúncio da aposentadoria da ex-número 2 do mundo Agnieszka Radwanska, que encerrou sua carreira profissional aos 29 anos nesta quarta-feira. "Radwanska está se aposentando? Eu não esperava por isso. É claro que desejo a ela o melhor. Ela era muito inteligente em quadra, tinha muita habilidade e foi bem sucedida, mesmo sem ter tanta potência em seus golpes".

Comentários