Notícias | Dia a dia
Aliassime quer top 50 e jogar os ATPs em 2019
20/11/2018 às 17h35

Aliassime aparece no 108º lugar do ranking aos 18 anos

Foto: Arquivo

Montréal (Canadá) - Considerado uma das grandes promessas do tênis mundial, o canadense Felix Auger-Aliassime traça planos ambiciosos para a próxima temporada. O jovem jogador de 18 anos e já número 108 do mundo prioriza os torneios grandes em 2019 e quer um lugar entre os cinquenta melhores do ranking.

Em 2018, Aliassime conseguiu suas seis primeiras vitórias em jogos de ATP, sendo duas delas em Masters 1000. A mais expressiva foi sobre o francês Lucas Pouille, ex-top 10 e então 18º do ranking durante o Masters de Toronto. O canadense também conseuguiu furar o quali do US Open e disputar um Grand Slam pela primeira vez.

Já nos torneios de nível challenger, foi campeão em Lyon e Tashkent, além de ser finalista em Blois. Com isso, ele aumentou o número de troféus deste porte na carreira para quatro conquistas, já que também havia vencido dois challengers no ano passado.

"Eu queria me estabelecer no top 100. tive alguns resultados sólidos", disse Auger-Aliassime ao jornal Montréal Gazette, quando questionado sobre seus objetivos. "Eu não quero olhar muito longe, mas se eu conseguir terminar perto do top 50 no ano que vem, seria fantástico".

"Vivi ótimos momentos nesta temporada", comentou o canadense, ao recordar de seus melhores resultados em 2018. "Venci meu primeiro jogo na Rogers Cup [nome comercial do Masters 1000 do Canadá] contra um top 20, como o Pouille, classifiquei para o US Open e em Chengdu eu derrotei o Hyeon Chung, que foi semifinalista na Austrália".

Aliassime também se lembra de quando teve que abandonar seu jogo de estreia no US Open, quando enfrentava o também jovem canadense Denis Shapovalov. Na ocasião, o canadense perdia por 5/7, 7/5 e 4/1 quando abandonou a disputa por arritima cardíaca. "Foi um pouco de falta de sorte, mas estamos trabalhando para resolver isso. Não é algo que represente risco à vida e eu já joguei seis ou oito torneios depois do US Open sem nenhum problema. Podem ter sido causado por diferentes fatores, como o estresse e o calor".

Técnico de Aliassime, Guillaume Marx também avaliou a temporada do jovem jogador. "Ele jogou vinte challengers e 10 ATPs este ano porque precisava melhorar o ranking. Agora que o ranking está mais alto, ele terá a chance de jogar mais torneios grandes, que é o que ele quer".

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis