Notícias | Dia a dia
Mudança na Davis motivou renúncia de Mauresmo
08/12/2018 às 12h38

Mauresmo abriu mão de cargo para ser técnica de Pouille

Foto: Arquivo

Paris (França) - Depois de abrir mão do cargo de capitã da equipe francesa da Copa Davis e passar a ser treinadora de Lucas Pouille, Amelie Mauresmo falou ao jornal L'Equipe sobre sua decisão. De acordo com a ex-número 1 do mundo, a renúncia do cargo se deu por conta das mudanças no formato da competição a partir do ano que vem e do risco de um conflito de interesses entre treinar um jogador e a equipe nacional.

"Claro que cometi um erro grave, assim como a Federação, mas é algo que já aconteceu. É verdade que eu deveria ter esperado um pouco mais até que fosse tomada uma decisão sobre o formato de competição que Davis teria", disse Mauresmo, que havia sido confirmada em junho como capitã da Davis para os anos de 2019 e 2020. Porém, em agosto, a ITF anunciou que a competição mudaria radicalmente a partir do ano seguinte.

"Esperei no final da Copa Davis para fazer um balanço, já que o novo formato de competição é totalmente diferente", afirmou a ex-líder do ranking. Pelo novas regras da Davis, a França só voltará a atuar pela competição em novembro do ano que vem, já durante a fase final que será disputada em Madri.

Mauresmo conta que recebeu o convite para treinar Pouille um dia depois da derrota francesa na final da Davis para a Croácia, em Lille. "Na segunda-feira após a final da Copa Davis contra a Croácia, Pouille me ligou e perguntou se eu poderia combinar o papel de capitã da Davis com o de sua treinadora".

"Primeiro, eu quis falar com outros jogadores franceses e eles me deram o aval, mas cheguei à conclusão de que não seria bom acumular as duas coisas", avalia a vencedora de dois Grand Slam. "Eu teria que tomar uma decisão complicada e finalmente decidi pelo Pouille, já que gostei do discurso dele e sou sempre guiada por esses sentimentos".

A respeito da última temporada de seu novo pupilo, que chegou ao top 10 em março, mas terminou o ano apenas no 32º lugar do ranking, Mauresmo acredita era o momento de o jogador de 24 anos buscar um novo ciclo de trabalho. "Na carreira de qualquer jogador, há momentos muito bons e ruins e este ano Lucas sofreu isso. Temos que encontrar uma nova dinâmica de trabalho que o coloque de volta na elite do tênis. Ele fez um ótimo trabalho com Emmanuel Planque, mas acho que tivemos que terminar esse ciclo e procurar algo diferente".

Mauresmo está com 39 anos e já trabalhou no circuito masculino como treinadora de Andy Murray e pretende adotar rotina parecida com o jovem compatriota. "Lucas me pediu para uma temporada completa, ou seja, entre 40 e 45 semanas, mas eu disse que seria melhor 30 semanas. Eu fiz o mesmo com Andy Murray há alguns anos. Nós nos organizaremos para encontrar alguém para completar a equipe".

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis