Notícias | Dia a dia
Após seu melhor ano, Coric busca o top 10 em 2019
22/12/2018 às 10h05

Coric saltou do 48º para o 12º lugar do ranking em 2018

Foto: Arquivo

Bordighera (Itália) - A temporada de 2018 foi especial para Borna Coric. Em seu primeiro ano trabalhando com o renomado treinador italiano Riccardo Piatti, o jovem croata saltou do 48º para o 12º lugar do ranking e conseguiu feitos inéditos em sua carreira, como o título do ATP 500 de Halle a final do Masters 1000 de Xangai. Ele também fez parte da equipe campeã da Copa Davis. Ciente de que vive o melhor momento da carreira, o atleta de 22 anos estabelece metas mais altas para 2019.

"Tenho minhas metas e obviamente quero ser um top 10", disse Coric, em entrevista ao site da ATP durante sua pré-temporada. "E também quero melhorar meu jogo. Ainda sou muito jovem e vejo muitos aspectos em que posso melhorar, então nós vamos buscar isso e acho que o ranking virá como consequência. Subi de número 48 para número 12, então é sinal de que estamos trabalhando muito bem e espero que no próximo ano nós possamos ir ainda melhor".

Na opinião Coric, três momentos foram determinantes para seu ótimo ano. O primeiro veio em março, quando ele foi semifinalista em Indian Wells e chegou às quartas em Miami. As duas boas campanhas em Masters 1000 deram-lhe confiança e o levaram ao 28º lugar do ranking. "Este foi o ano mais consistente da minha vida, com alguns picos. Os torneios de Indian Wells e Miami foram muito importantes para o meu ano, porque eu consegui chegar ao top 30. Estava animado porque eu já poderia ser cabeça de chave em alguns torneios e seria mais fácil para mim".

Na sequência, o croata destaca o título conquistado na grama de Halle, vencendo o então número 1 do mundo Roger Federer na final. "Quando cheguei a Halle, não esperava vencer o torneio, porque eu nunca havia jogado bem na grama e não sabia o que esperar. Tive um pouco de sorte em alguns momentos do torneio e, então, eu joguei o melhor tênis da minha vida na final e venci o jogo".

Já no caminho para sua primeira final de Masters 1000, Coric passou por Stan Wawrinka, Juan Martin del Potro e novamente por Federer, antes de ser superado por Novak Djokovic na disputa pelo título. "Acho que meu terceiro pico no ano foi em Xangai. Foi uma surpresa para mim, mas eu fui jogando cada vez melhor durante o torneio, não sei como, para ser honesto. Mas aconteceu e foi um desses picos e também uma das melhores memórias da minha vida".

A pré-temporada de Coric está sendo feita na academia de Piatti em Bordighera, no norte da Itália. O croata não está inscrito para nenhum dos torneios disputados nas duas primeiras semanas do ano e já inicia a temporada diretamente no Australian Open.

"Joguei mini -tênis nos últimos quatro meses para trabalhar em algumas coisas específicas e acho que será muito benéfico nessas semanas de treinameto, em que eu tenho 25 dias para me preparar", explicou sobre seu período de preparação. "Acho que as duas primeiras semanas da pré-temporada são mais voltadas à preparação física e eu jogo tênis por uma hora ou uma hora e meia, o que não é muito, e passo duas ou três horas na academia".

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis