Notícias | Dia a dia
Osaka mira inédito top 3 na história do tênis japonês
24/12/2018 às 12h06

Osaka tem poucos pontos a defender no começo de 2019

Foto: Arquivo
Mário Sérgio Cruz

Responsável pelo primeiro título para o Japão em um Grand Slam de simples, Naomi Osaka tem boas chances de colocar mais uma vez seu nome na história do país. A jovem jogadora de 21 anos e atual campeã do US Open precisa de apenas mais duas posições no ranking para se ter a melhor marca já alcançada pelo tênis japonês, considerando homens e mulheres.

Osaka terminou o ano como número 5 do mundo e chegou a ocupar o quarto lugar do ranking durante três semanas em outubro. A quarta posição é idêntica à marca obtida por Kimiko Date entre 13 de novembro e 31 de dezembro de 1995. No masculino, o atual número 9 do mundo Kei Nishikori chegou ao quarto lugar em março de 2015.

Em toda a história, o Japão teve apenas quatro tenistas no top 10 de simples considerando homens e mulheres. Além de Osaka, Date e Nishikori, o país ainda teve Ai Sugiyama, que entrou no grupo das dez melhores do mundo em novembro de 2003 e ocupou o oitavo lugar do ranking em fevereiro do ano seguinte.

Nos primeiros meses de 2019, Osaka terá pouco a defender em comparação com suas concorrentes diretas. A japonesa tem apenas 331 pontos a descontar, referentes às campanhas de oitavas no Australian Open, quartas em Dubai, segunda rodada em Doha e primeira rodada em Hobart. Somente em março, quando terá mil pontos a defender em Indian Wells é que a japonesa correrá mais risco de perder posições.

A número 1 do mundo Simona Halep defende 1.930 pontos entre janeiro e fevereiro, referentes ao vice-campeonato na Austrália, título em Shenzhen e semifinal em Doha. A vice-líder Angelique Kerber desconta 1.625 pontos, com semi em Melbourne, título em Sydney, quartas em Doha e semi em Dubai. Terceira no ranking e atual campeã do Grand Slam australiano, Caroline Wozniacki tem 2.630 pontos a defender. Já a quarta colocada Elina Svitolina defende títulos em Brisbane e Dubai e tem 1.370 pontos a descontar.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis