Notícias | Dia a dia
'Federer não se diverte como antes', diz Soderling
27/12/2018 às 11h17

Aos 37 anos, Federer é o número 3 do mundo

Foto: Arquivo

Londres (Inglaterra) - Finalista de Roland Garros em 2009 e 2010, o sueco Robin Soderling falou um pouco sobre a situação atual do circuito em entrevista para o podcast Tennis whith an Accent, na qual ele destacou a atual fase do sérvio Novak Djokovic e analisou o momento do suíço Roger Federer.

“Se ele (Djokovic) continuar jogando como nos últimos seis meses, será muito difícil de ser batido. Fererer não se diverte jogando tênis como fazia antes, ou pelo menos não jogou tão bem nos últimos 12 meses como em 2017”, comentou o ex-número 4 do mundo, que conquistou 10 títulos como profissional.

“Agora é Djokovic que está no topo e não me surpreenderia se dentro de um ano passemos a discutir qual dos três (Djokovic, Nadal e Federer) é o melhor de todos os tempos e isso é loucura”, observou Soderling, que também destacou a nova geração de tenistas.

"Federer já passou dos 30 faz tempo, Djokovic e Nadal também estão acima de 30. Isso mostra como eles são bons, mas também é legal ver que alguns dos jovens jogadores estão começando a dar trabalho. O desempenho de Zverev em Londres foi bom. Também é bom ver Coric, Khachanov e outros dessa idade, isso é muito bom para o tênis”, pontuou sueco de 34 anos.

O ex-tenista profissional vê com bons olhos essa mudança de guarda no tênis, mas acredita que haverá um sentimento de falta quando Nadal, Djokovic e Federer tiverem que parar. “Eles foram grandes embaixadores e ainda têm alguns anos, mas quando eles se aposentarem será um problema", finalizou Soderling.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis