Notícias | Dia a dia | Australian Open
Jogadoras destacam apoio de Murray às mulheres
11/01/2019 às 16h02

Heather Watson foi uma das que agradeceram a Murray pelo apoio

Foto: Arquivo

Melbourne (Austrália) - A iminente aposentadoria de Andy Murray, que anunciou nesta sexta-feira que pretende encerrar sua carreira profissional em Wimbledon, causou comoção também no circuito feminino. Murray sempre se manifestou a favor da igualdade de premiações entre homens e mulheres, aconselhou e inspirou jovens jogadoras, teve a ex-número 1 Amelie Mauresmo como treinadora, e demonstrava interesse e conhecimento sobre o que acontecia nas competições femininas. Por isso, muitas jogadoras do passado e do presente manifestaram apoio ao britânico.

"Sinto muito que você não possa se aposentar em seus próprios termos, mas lembre-se de olhar para o futuro. Seu maior impacto no mundo pode ainda estar por vir. Sua voz pela igualdade inspirará as futuras gerações. Muito amor para você e sua família", declarou a ex-número 1 do mundo e vencedora de 12 títulos de Grand Slam Billie Jean King.

"Temos muitos exemplos de quando ele defendeu a gente. Não apenas o tênis feminino, mas as mulheres em geral. Todo mundo sempre gostou muito dele e de como ele defendeu o lado feminino do esporte", declara a jogadora britânica de 27 anos Johanna Konta, ex-número 4 do ranking e atual 38ª colocada.

A também britânica Heather Watson, 93ª do ranking, foi outra compatriota a prestar homenagens. "Os garotos costumam lutar pelos garotos, porque esse é o campo em que eles estão. Ter um cara lutando pelos direitos das mulheres é bem legal. Estou muito grata por poder conhecê-lo e dividir a quadra com ele na Copa Hopman algumas vezes e nas Olimpíadas. Ele é uma pessoa incrível".

A experiente alemã de 31 anos Andrea Petkovic tem a mesma idade que Murray. Ex-top 10 e agora 61ª colocada, Petkovic garante que o britânico era seu jogador favorito, por conta de suas atitudes fora de quadra. "Ele sempre foi meu favorito e acho que será uma grande perda para o tênis em geral, mas também para a WTA. Porque mesmo hoje em dia, quando você pensa que o mundo está se tornando mais igual, ainda precisamos que homens, especialmente homens de sucesso, também falem pelas mulheres".

A russa Elena Vesina, que foi número 1 de duplas no ano passado, pouco antes de se tornar mãe, enalteceu o espírito de luta do britânico. "Ele é verdadeiramente uma inspiração para todos, um modelo para meninos e meninas e um lutador em todos os aspectos. Ele estava sempre ao nosso lado. Eu realmente espero que ele consiga se manter forte e jogar em Wimbledon".

Já a australiana Samantha Stosur, campeã do US Open de 2011, revelou que Murray era muito querido no ambiente do circuito. "Ele tem sido um jogador fantástico e um campeão. Quero dizer, ele foi um defensor massivo do tênis feminino e do esporte feminino em geral. Sei que no vestiário, sempre que o ouvimos nos apoiando, nos pensamos: 'É isso aí! Vai, Andy!"

Comentários