Notícias | Dia a dia | Australian Open
FRASES: veja o que estão comentando no Aberto
18/01/2019 às 21h26

“Veja, eu gosto do Nick. Gosto do jeito que joga e tudo mais. Fiquei, sim, ao saber que ele estava de comentarista na cabine. Ele tinha um tempo disponível, é apaixonado pelo tênis. É isso do que precisamos. Mas queríamos que estivesse na quadra ao invés de numa cabine de comentarista. Precisamos dele primeiro jogando pelos próximos 10 anos,  antes de comentar.”
Federer sobre Kyrgios comentando sua partida contra Taylor Fritz para o Channel 9.

“Todos queremos que eles ganhem coisas grandes, mas isso leva um tempo. Eu ainda estou dando trabalho a eles, às vezes.”
Federer sobre os desafios da nova geração diante dos grandes nomes do esporte.

“Está tudo ajustado e o resultado é que me sinto realmente bem em quadra. É uma combinação de uma preparação diferente, uma abordagem diferent. Bastante mudanças para mim nos últimos seis meses. Parece que está dando resultados agora.”
Berdych, quadrifinalista em Melbourne em 2015, que ficou 6 meses afastado por contusão nas costas. Pela primeira vez desde 2005 ele não figura entre os cabeças-de-chave de um Grand Slam.

“Nossa geração é muito forte. Provou isso por resultados. A única mudança é que estamos ficando velhos, é um processo que não se pode parar. Um dia vai terminar e os novos vão assumir. Só estamos procurando fazer o nosso melhor.”
O tcheco Berdych, que está com 37 anos, de uma geração que tem Federer, Nadal, Djokovic e Murray.

“Não joguei muitas partidas no ano passado, especialmente contra jogadoras da elite e esses são os jogos para os quais eu treino. Então, foi realmente gratificante ganhar aquele último ponto.”
Sharapova, feliz pela vitória sobre Caroline Wozniacki, campeã do Aberto da Austrália no ano passado, por 6/4, 4/6 e 6/3.

“A história dela é fenomenal. Sei que ficou um tempo fora, retornou e ressurgiu.”
Sharapova sobre a australiana Ashleigh Barty, sua próxima adversária. A cabeça 15 ficou quase dois anos afastada do tênis, jogando críquete, depois do US Open de 2014.
 
“Quero ganhar este torneio.  Esta é uma sensação irreal. Não acredito que isto está acontecendo.”
 A americana Anisimova, de 17 anos, após eliminar Aryna Sabalenka, cabeça 11, e garantir vaga inédita nas oitavas de um Grand Slam.

“Eu a respeito muito porque é jovem e tem um grande jogo. Ela realmente está provando o que é capaz de fazer. Realmente tem um futuro brilhante à sua frente.”
Sharapova elogiando Anisimova, nascida em Nova Jersey e baseada agora na Flórida.

Comentários
Faberg
Roland Garros Series