Notícias | Dia a dia | Australian Open
Djoko é novamente testado, mas avança às quartas
21/01/2019 às 11h46

Sérvio precisou de 3h15 para passar por Medvedev nesta segunda-feira

Foto: Divulgação

Melbourne (Austrália) - Pelo segundo jogo seguido, Novak Djokovic precisou de quatro sets para avançar neste Australian Open. Depois de já ter sido exigido pelo canadense de 19 anos Denis Shapovalov na terceira rodada, o sérvio foi novamente testado por um rival da nova geração e teve que lutar por 3h15 para vencer o russo de 22 anos e 19º do ranking Daniil Medvedev por 6/4, 6/7 (5-7), 6/2 e 6/3 e se garantir nas quartas de final do Australian Open.

Seis vezes campeão em Melbourne, Djokovic tem chances de sair do torneio como o recordista de títulos na competição em todos os tempos. O sérvio de 31 anos está empatado com Roger Federer e Roy Emerson entre os maiores vencedores do Grand Slam australiano. É certo que o atual número 1 do mundo irá se manter na liderança do ranking após o torneio, já que o espanhol Rafael Nadal não pode mais alcançá-lo desde a chegada do sérvio às oitavas.

Djokovic chega às quartas de final em Melbourne pela 11ª vez na carreira. O vencedor de 14 títulos de Grand Slam alcança a antepenúltima rodada de um Major pela 43ª ocasião e só fica atrás de Roger Federer, que tem 54 aparições nas quartas de final de Grand Slam. Em busca de um lugar na semi, o sérvio enfrentará o japonês Kei Nishikori, contra quem tem 15 vitórias e apenas duas derrotas.

Em jogo que teve longos ralis no início, mas que terminou com ambos tentando encurtar os pontos, Djokovic fez 43 a 38 em winners e terminou o jogo com 50 erros não-forçados, um a mais que seu adversário. Medvedev liderou a contagem de aces por 18 a 6. Ao todo, foram nove quebras de serviço, com Djokovic aproveitando sete de seus 18 break points, enquanto Medvedev criou nove oportunidades e concretizou duas delas.

Depois de passar por seus dois primeiros games de serviço perdendo apenas um ponto, Djokovic levou um susto no quinto game da partida. Depois de errar um voleio, o sérvio enfrentou um break point, mas conseguiu evitar a quebra e fechar o game com um ace. Logo na sequência, Medvedev cometeu dois erros seguidos e para se ameaçado pela primeira vez. O sérvio aproveitou a chance e jogou um forehand profundo, no pé do adversário, para conseguir a quebra.

A vantagem de Djokovic no primeiro set ficou ainda maior depois que o sérvio confirmou o saque em um game longo para liderar por 5/2, mas Medvedev fez seu melhor game de serviço no jogo até então, com um ace e mais dois winners. Na hora de fechar o set, o número 1 do mundo baixou muito sua intensidade, cometeu erros e permitiu que o russo devolvesse a quebra. Mas logo no game seguinte, Medvedev não aproveitou um 40-15 e o sérvio voltaria a quebrar para definir a parcial.

Djokovic começou o segundo set bem mais versátil, utilizando mais slices e curtinhas para tirar o adversário da linha de base. O russo salvou quatro break points logo em seu primeiro game de serviço na parcial, mas acabou sofrendo a quebra dois games mais tarde. Liderando o placar por 4/1 e com nova chance de quebra no sexto game, o sérvio parecia encaminhar uma classificação sem maiores sustos, ainda mais porque Medvedev já dava sinais de desgaste.

A reação do russo na reta final do segundo set foi louvável. Medvedev conseguiu devolver a quebra no sétimo game, buscou o empate logo depois e conseguiu manter o saque até o fim do set para forçar o tiebreak. Sólido e paciente, o jovem de 22 anos sustentou até mesmo um rali com 42 trocas de bola contra Djokovic para vencer um ponto e contou com uma dupla-falta do sérvio para liderar por 6-3. O sérvio chegou a salvar três set points, mas o russo prevaleceu em mais um ponto longo para empatar a partida.

Apesar do equilíbrio no placar, a diferença física entre os dois jogadores era cada vez mais evidente. Até por isso, pesou muito para Medvedev perder uma enorme oportunidade no começo do terceiro set, quando Djokovic saiu de um 0-40 antes de confirmar o serviço. Após o empate por 2/2 na parcial, o sérvio conseguiu mais duas quebras e só perdeu mais um ponto em seu saque para retomar a dianteira na contagem de sets.

A alternativa buscada por Medvedev para se manter competitivo na partida foi encurtar ao máximo os pontos. O russo vinha forçando cada vez mais o saque e partia para a definição, mesmo quando a escolha não era a mais indicada. Com o adversário cada vez mais agressivo, o sérvio passou a ter mais trabalho para confirmar seus games de saque, mas o sérvio novamente conseguiu uma quebra cedo e escapou dos dois break points que enfrentou na parcial. A frustração de Medvedev era evidente e quem mais sofria eram suas raquetes. Uma nova quebra a favor do número 1 do mundo sacramentou a vitória.

Comentários
Faberg
Roland Garros Series